sexta-feira, 1 de abril de 2011

Igreja Católica em defesa da Vida!

bebe6 Fotos do desenvolvimento do bebê na barriga da mãe
Amado de Deus, seja bem vindo!
Estou feliz em poder partilhar com você, hoje, esta noticia maravilhosa que recebi de um amigo de oração.
Realmente o céu inteiro chora por estes assassinatos, agora em muitos lugares já pode ser realizado com liberdade!
Graças a Deus e a proteção de Nossa Senhora Aparecida, em nosso país, o projeto Lei que pretendia a legalização do aborto NÃO foi aprovado...e Deus nos ajude que nunca o seja.
O céu inteirinho vibra quando acontece uma fecundação no ventre de uma mulher e comemora com alegria cada passo deste milagre até o nascimento do bebê.
Da mesma forma o céu chora e os Sacratíssimo Coração de Jesus e  Imaculado Coração de Maria sangram todas as vezes que uma mãe diz Não ao milagre da vida!
Deus seja louvado por esta mãe, citada no artigo abaixo, que preferiu antes agradar ao Coração de Deus do que a si mesma e preferiu dizer NÃO aos seus medos e SIM ao milagre da vida, abandonando-se plenamente na Misericórdia de Deus, confiando na Sua Santissima Providência!
Obrigado, meu Deus, por esta criança que foi salva pela sua Igreja deste assassinato que seria realizado com permissão legal...
"Depois tomou uma criança, colocou-a no meio deles e pegando-a nos braços, disse-lhes: Aquele  que receber uma destas crianças por causa do meu nome, a mim recebe; e aquele que me recebe, não é a mim que recebe, mas sim àquele que me enviou.' (Mc 9, 36-37)

PAZ!

Posted: 30 Mar 2011 05:20 PM PDT

TJ autoriza aborto de anencéfalo, mas mãe levará 
gravidez adiante


Graziela Delalibera

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) autorizou a gestante R.N.S.R, 29
anos, de Palmares Paulista, a abortar um bebê sem cérebro, agora com 20
semanas. A gestante e o marido, no entanto, disseram que vão manter a
decisão de levar a gravidez até o final, segundo a advogada de R., Joana
Cristina Paulino.

A advogada foi comunicada ontem da decisão do Tribunal pelo juiz Rodrigo
Ricci Fernandes, de Santa Adélia. O juiz havia autorizado o procedimento no
dia 10 de fevereiro, depois que um exame realizado pela mãe, no dia 25 de
janeiro, diagnosticou que o feto era portador de acrania (tipo de anencefalia
em que o feto não tem crânio e nem a pele que o reveste). Chocada com a
informação, a gestante havia acionado a Justiça para fazer o aborto, pois a
criança não tem chances de sobreviver fora da barriga da mãe.

“A pretensão da família não é mais abortar. Ela (a gestante) está tranquila,
com a pressão normal, e por enquanto não mudou de ideia”, disse a advogada,
que conversou com o marido de R. na tarde de ontem. O aborto chegou a ser
agendado, no Hospital Padre Albino, em Catanduva, mas o TJ havia proibido
o procedimento por meio de uma liminar, atendendo pedido do advogado
Marcos Antônio Favaro, de São Paulo, que se intitulou defensor do feto.

Enquanto a autorização do aborto ficou suspensa pela liminar do TJ, a gestante
foi procurada pela Igreja Católica, que se comprometeu em lhe dar toda a
assistência necessária na gestação. Com isso, ela recuou e decidiu levar a
gravidez adiante. R. tem sido acompanhada por um médico especialista de
Catanduva, por indicação da Igreja

2 comentários:

  1. Só Deus pode realizar um milagre desses. Parabéns pela importante decisão, mamãe.

    ResponderExcluir
  2. SIM!!! O céu inteirinho esperava este precioso SIM desta mamãe! Deus seja louvado hoje e sempre e eternamente!

    ResponderExcluir