terça-feira, 31 de maio de 2011

Seu filho está escolhendo a sua profissão? Vamos interceder por eles, mães?

graduation students
Amado de Deus,
Sabe que como pais, mães ou padrinhos temos a obrigação de interceder pelos nossos filhos e afilhados, para que consigam encontrar a vocação que Deus pensou para eles e, assim, serem felizes e realizados.
Realmente é uma fase tão difícil para estes jovens, tantos conselhos, tantas oportunidades, tantas coisas que podem obscurecer a verdadeira vocação de cada um...dinheiro, possibilidade de fama, influência de pais, avós e etc...
Mas, nós cristãos temos o dever de saber que somente é feliz aquele que exercita a sua vocação, consegue, tem a felicidade de desenvolver em sua vida a vocação pensada por Deus para ele...
Não podemos interferir na decisão de nossos filhos e afilhados, mas podemos e devemos interceder por eles, para que a Luz do Espírito Santo possa despertar o desejo de Deus para suas vidas...
Quando penso nisto, em meus filhos e afilhados, e na graça de poderem desenvolver o sonho de Deus nas suas vidas, meu coração se enche de alegria e paz, sinto que serão plenamente felizes se esta graça acontecer em suas vidas!
Sabe que temos esta obrigação diante de Deus, isto é, de fazermos a nossa parte, de contribuirmos de algum modo para que nossos filhos e afilhados encontrem e desenvolvam  o sonho de Deus para suas vidas. Significa que se ficarmos de mão cruzadas, Deus nos cobrará e tenha certeza, até mesmo os nosso filhos e afilhados nos cobrarão na eternidade.
Sei que nem sempre temos contato com todos os nossos afilhados, sei que muitas vezes não podemos estar presentes por circunstâncias da vida, porém, mesmo de longe, jamais podemos deixar de rezar e interceder por eles, para que se salvem!
Sendo assim, pensando nisto, e até porque tenho um filho que está passando por esta difícil fase, que resolvi postar esta oração à São José que soube ouvir a voz de Deus e seguir a sua Vocação de Pai Adotivo de Jesus.
Nesta oração, amado de Deus, nós vamos pedir a São José que interceda pelos nossos jovens filhos e afilhados...
Reze, amado de Deus, reze muito sem cessar porque o inimigo de Deus trabalha incansavelmente para desviar nossos jovens do Caminho de Deus, para que o sonho de Deus não se realize em suas vidas, não podemos, de forma alguma, permanecer inertes...mas com nosso filhos e afilhados, através de nossa intercessão e a de São José, seremos mais que vencedores, creia nisto, a sua oração pode salvá-los! Amém!
PAZ









ORAÇÃO A SÃO JOSÉ PELO ACERTO NA ESCOLHA DA VOCAÇÃO E ESTADO DE VIDA DOS NOSSOS FILHOS E AFILHADOS:




Glorioso São José, que tão dócil fostes à voz do Espírito Santo, alcançai para meu filho (afilhado) (dizer o nome) a graça de conhecer a vocação e o estado de vida que Deus, em sua íntima Sabedoria e imensa Bondade lhes preparou desde toda eternidade.
Não permitas, São José, que meu filho (afilhado) (dizer o nome) se engane nesta importante escolha de sua vocação e estado de vida, para que felizes, caminhem sempre rumo à eterna Salvação e que o sonho de Deus se realize por completo em sua vida.
Fazei, pois, glorioso Protetor das Almas, que, esclarecidos a respeito da vontade Divina e fiéis em segui-La, meu filho (afilhado) (dizer o nome) encontre o Caminho que o Senhor a ele tem destinado, com Infinito Amor: a bem aventurança eterna. Amém.


Pai-Nosso. Ave-Maria e Glória.
São José que amais o Santíssimo Coração de Jesus, rogai por meu filho (afilhado) (dizer o nome) Amém.



segunda-feira, 30 de maio de 2011

Palavras ditas por Jesus após a sua mortes, segundo São Marcos.


Oi Amado de Deus,
Vamos escutar o que nos orienta Jesus, segundo São Marcos, após a sua ressurreição?
Apenas uma frase destacou São Marcos, mas de tão grande importância para nós...
Jesus deixa algumas orientações a serem seguidas:
1. Evangelizar sempre;
2. Batismo condição necessária para salvação;
3. Promessa de salvação para todo o que crê;
4. Milagres que acompanharão sempre os que n'Ele crêem, esperam e confiam: Libertação, Proteção e Cura total!
Viu quão preciosas promessas nos fez Jesus? E, para alcançá-las em sua vida, basta apenas duas condições: Receber o Batismo e Crer...
E você, amado de Deus, já meditou quantas maravilhas Jesus pode realizar através da sua fé?
Quer ser este canal de graça para tantos que necessitam?
Basta um ato de sua vontade e Tudo se Cumprirá em sua vida e através de você na vida de todos os que te cercam...quer fazer a experiência de ser um canal de milagres para tantos?
Coragem...Jesus precisa de você...é imensamente precioso para Ele, acredite!
PAZ


Palavras ditas por Jesus, segundo São Marcos, após a sua ressurreição e antes da sua ascenção:


"Ide por todo mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura. Aquele que crer e for batizado será salvo; o que não crer será condenado. Estes são os sinais que acompanharão os que tiverem crido: em meu nome expulsarão demônios, falarão em novas línguas, pegarão em serpentes, e se beberem algum veneno mortífero, nada sofrerão; imporão as mãos sobre os enfermos, e estes ficarão curados." 
(Mc 16, 15-18)

domingo, 29 de maio de 2011

Você sabe como morreram os Apóstolos de Jesus?



Querido amigo de Deus...
Outro dia meu filho mais velho me perguntou:

"Mãe, você sabia que André, apóstolo de Jesus, morreu crucificado em uma cruz em forma de "X"?"

Então fomos, nós dois, enumerando os apóstolos e, alguns eu sabia sobre a morte, outros não, embora soubesse que todos foram martirizados.
O interesse do Gil Neto despertou em meu coração um desejo de conhecer a maneira como estes corajosos homens, primeiros anunciadores da Palavra, amigos íntimos do Mestre, morreram, glorificando Jesus com sua própria vida.
Apóstolo é diferente de discípulo: apóstolos são os "enviados" por Jesus para espalhar a Boa Nova, são escolhidos , ou melhor, são "colhidos" entre os "escolhidos" para uma missão especial; discipulos  são os "alunos", chamados a seguir Jesus e aderir aos seus ensinamentos;
Esta "curiosidade" do meu filho, pretenso estudioso em história, fez nascer em meu coração um profundo amor e gratidão aos primeiros seguidores de Jesus, afinal, se não fosse a coragem destes homens a Palavra não teria chegado aos nossos ouvidos.
Um amor especial por aqueles a quem Jesus "colheu" com tanto cuidado e depois de ter rezado tanto, pois assim diz a Palavra:

"Naqueles dias, ele foi à montanha para orar e passou a noite inteira em oração a Deus. Depois que amanheceu, chamou os discípulos e dentre eles "escolheu" doze, os quais deu nome de "apóstolos": Simão, a quem impôs o nome de Pedro, seu irmão André, Tiago, João, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Simão, chamado Zelota, Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, que se tornou o traidor." (Lc 6, 12-15)

"Chamou os doze discípulos e deu-lhes autoridade de expulsar os espíritos imundos e de curar toda sorte de males e enfermidades. Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro Simão, também chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago filho de Alfeu, e Tadeu; Simão o zelota e Judas Iscariotes, aquele que o entregou." (Mt, 10, 1-4)

"Subiu a montanha, e chamou a si os que ele queria, e eles foram até ele. E constituiu doze, para que ficassem com ele, para enviá-los a pregar, e terem autoridade em expulsar os demônios. Ele constituiu, pois, os Doze, e impôs a Simão o nome de Pedro; a Tiago, o filho de Zebedeu, e a João, o irmão de Tiago, impôs o nome de Boanerges, isto é, filho do trovão, depois André, Felipe, Bartolomeu, Mateus,  Tomé, Tiago filho de Alfeu, Tadeu, Simão o zelota, e Judas Iscariot, aquele que o entregou" (Mc, 3, 13-19)

Jesus, durante seu convívio com os apóstolos, anunciou o seu martírio:

"Por isso, diz também a sabedoria de Deus: Profetas e apóstolos lhes mandarei; e eles matarão uns e perseguirão outros” (Lucas 11.49).

“E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa do meu nome” (Lucas 21.16-17)

“Se a mim me perseguiram também vos perseguirão a vós... mas tudo isso vos farão por causa do meu nome” (João 15.19-20).

“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos...eles vos entregarão aos sinédrios e vos açoitarão nas suas sinagogas, e sereis conduzidos à presença dos governadores e dos reis, por causa de mim...” (Mateus 10.16-18).

Vamos, então, conhecer como morreram os apóstolos, segundo a tradição:

ANDRÉ
Foi discípulo de João Batista, de quem ouviu a seguinte afirmação sobre Jesus: “Eis aqui o Cordeiro de Deus”. André foi o primeiro dos doze a ser chamado por Jesus e comunicou as boas notícias ao seu irmão Simão Pedro: “Achamos o Messias” (João 1.35-42; Mateus 10.2). O lugar do seu martírio foi em Acaia (província romana que, com a Macedônia, formava a Grécia). Diz a tradição que ele foi amarrado a uma cruz em forma de xis (não foi pregado) para que seu sofrimento se prolongasse.


BARTOLOMEU
Tem sido identificado com Natanael. Natural de Caná de Galiléia. Recebeu de Jesus uma palavra edificante: “Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo” (Mateus 10.3; João 1.45-47) Exerceu seu ministério na Anatólia, Etiópia, Armênia, Índia e Mesopotâmia, pregando e ensinando. Foi esfolado vivo e crucificado de cabeça para baixo. Outros dizem que teria sido golpeado até a morte.


FILIPE
Natural de Betsaida, cidade de André e Pedro. Um dos primeiros a ser chamado por Jesus, a quem trouxe seu amigo Natanael (João 1.43-46). Diz-se que pregou na Frigia e morreu como mártir em Hierápolis.


JOÃO
O apóstolo que recebeu de Jesus a missão de cuidar de Maria. “O discípulo que Jesus amava” (João 13.23). Pescador, filho de Zebedeu (Mateus 4.21 O único que permaneceu perto da cruz (João 19.26-27). O primeiro a crer na ressurreição de Cristo (João 20.1-10). A tradição relata que João residiu na região de Éfeso, juntamente com Maria,  onde fundou várias igrejas. Na ilha de Patmos, no mar Egeu, para onde foi exilado, teve as visões referidas no Apocalipse (Ap 1.9). Após sua libertação teria retornado a Éfeso. Teve morte natural com idade de 100 anos.


JUDAS TADEU
Foi quem, na última ceia, perguntou a Jesus: "Senhor, por que te manifestarás a nós e não ao mundo?" (João 14:22-23). Nada se sabe da vida de Judas Tadeu depois da ascensão de Jesus. Diz a tradição que pregou o Evangelho na Mesopotâmia, Edessa, Arábia, Síria e também na Pérsia, onde foi martirizado juntamente com Simão, o Zelote.


MATEUS
Filho de Alfeu, e também chamado de Levi. Cobrador de impostos nos domínios de Herodes Antipas, em Cafarnaum (Marcos 2.14; Mateus 9.9-13; 10.3; Atos 1.13). Percorreu a Judéia, Etiópia e Pérsia, pregando e ensinando. Há várias versões sobre a sua morte. Teria morrido como mártir na Etiópia, perfurado por lanças até a morte.


MATIAS
Escolhido para substituir Judas Iscariotes (Atos 1.15-26). Diz-se que exerceu seu ministério na Judéia e Macedônia. Teria sido martirizado na Etiópia.


PAULO
Israelita da tribo de Benjamim (Filipenses 3.5). Natural de Tarso, na Cilícia (hoje Turquia). Nome romano de Saulo, o Apóstolo dos Gentios. De perseguidor de cristãos, passou a pregador do evangelho e perseguido. Realizou três grandes viagens missionárias e fundou várias igrejas. Segundo a tradição, decapitado em Roma, nos tempos de Nero, no ano 67 ou 70 (Atos 8.3; 13.9; 23.6; 13-20).


PEDRO
Pescador, natural de Betsaida. Confessou que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.16). Foi testemunha da Transfiguração (Mateus 17.1-4). Seu primeiro sermão foi no dia de Pentecostes. Segunda a tradição, sua crucifixão verificou-se entre os anos 64 e 67, em Roma, por ordem de Nero. Pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, por achar-se indigno de morrer na mesma posição de Cristo. 
Seu túmulo se encontra sob a catedral de S. Pedro, no Vaticano, e é autenticado por muitos historiadores, sendo validado pelo Papa no ano de 1968.

SIMÃO, o Zelote
Dos seus atos como apóstolo nada se sabe. Está incluído na lista dos doze, em Mateus 10.4, Marcos 3.18, Lucas 6.15 e Atos 1.13. Julga-se que morreu crucificado.


TIAGO, O MAIOR
Filho de Zebedeu, irmão do também apóstolo João. Natural de Betsaida da Galiléia, pescador (Mateus 4.21; 10.2). Por ordem de Herodes Agripa, foi preso e decapitado em Jerusalém, entre os anos 42 e 44.


TIAGO, O MENOR
Filho de Alfeu (Mateus 10.3). Missionário na Palestina e no Egito. Segundo a tradição, f
oi atacado por se recusar a denunciar os cristãos, sendo apedrejado até a morte, por ordem do sumo sacerdote Ananias. Martirizado provavelmente no ano 62.


TOMÉ
Só acreditou na ressurreição de Jesus depois que viu as marcas da crucificação (João 20.25). Segundo a tradição, sua obra de evangelização se estendeu à Pérsia (Pártia) e Índia. Consta que seu m
artírio se deu por ordem do rei de Milapura, na cidade indiana de Madras, no ano 53 da era cristã.


Espero, sinceramente, querido de Deus, que estes relatos sobre a morte dos apóstolos desperte muito mais amor em seu coração pela Igreja, por aqueles que deram sua vida por Ela,
pela sua coragem, por terem sido fiéis a Jesus até o final...que lindo!
Mas o que os movia, o que os animava a ser tão fiel, até a morte? Não era o AMOR?
E você, querido de Deus, em sua vida, têm enfrentado o martírio por amor a Jesus?
Santa Terezinha do Menino Jesus e também irmã Faustina, nos ensinam o valor enorme daqueles que, por amor a Jesus, aceitam o martírio diário, talvez muito mais difícil do que aqueles enfrentados pelos primeiros cristãos e exige de cada um de nós uma fidelidade, uma determinação tão grande, um esforço, as vezes, sobre humano...
O inimigo de Deus trabalha sem cessar e nós sofremos ataques de todos os lados, de todas as formas, verdadeiros martírios que, muitas vezes, não seriam suportados não fosse uma graça especial de Deus.
Sendo assim, continuo te animando a persistir, a ser fiel a Jesus, a fazer de sua vida um verdadeiro Evangelho vivo. 
Acredite, mesmo que ninguém veja, Deus reconhece todo o seu sacrifício aceito por amor à Ele, e não te deixa só.
E, mesmo nossa querida Mãezinha está sempre ao seu lado, intercedendo por cada situação difícil enfrentada por amor a Jesus em sua vida...
Não desanime não, viu, estamos juntos nesta!
PAZ

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Palavras de Jesus segundo São Mateus, após a ressurreição!


Olá querido de Deus!
Antes da Páscoa meditamos sobre as Palavras ditas por Jesus momentos antes de sua morte, pelos quatro Evangelistas.
Agora, estarei postando as Palavras ditas por Jesus, segundo Mateus, depois de sua morte e antes da sua Ascensão.
Para não esquecermos de tudo o quanto nos exortou o Senhor, antes de subir ao céu...para que Suas Santas e Benditas Palavras nos ajude neste caminho que nos leva ao céu...
Segundo São Mateus, Jesus nos deixa três conselhos: a. devemos cultivar a alegria; b. nada precisamos temer; c. devemos anunciar o Evangelho; e. devemos estar sempre reunidos com os irmãos, em comunidade; f. a Ele foi dado todo o poder no céu e na terra; g. Ele está presente na Eucaristia e assim permanecerá a nossa espera todos os dias, até o final dos tempos... 
Ânimo, coragem, cabeça erguida, alegre-se, sem medo caminhe, pois Jesus está ao seu lado e te espera todos os dias nos Sacrários deste mundo, para te orientar, te consolar, te amar...
Viu, quantos motivos para voce louvar e ser feliz?
Pois então, mãos a obra, amado de Deus, declare-se Livre e Feliz, pois Jesus é por voce!
PAZ!




PALAVRAS DITAS POR JESUS, SEGUNDO MATHEUS, ANTES DA SUA ASCENSÃO:


1."Alegrai-vos".
2."Não temais! Ide anunciar a meus irmãos que se dirijam para Galiléia, lá me verão!"
3."Todo o poder me foi dado no céu e sobre a terra. Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estarei convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!"




PAZ!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma protestante que virou freira por intercessão de Maria!


Como te amo Maria, como confio no teu socorro!
Como te admiro Mãe, como admiro a sua humildade!
Obrigado, Mãe, muito obrigado por estar sempre atenta aos teus filhos!
Mãe, obrigado por ter aceito a maternidade de todos os homens que te foi dada por Jesus aos pés da Cruz!
Maria, Mãe de todos nós!
E eu te pergunto agora amado de Deus, o que seria da nossa vida sem esta Mãe por perto a nos guiar, a nos aconselhar, a nos orientar, a nos curar, a nos indicar Jesus?
Eu louvo e bendigo a Deus por este testemunho maravilhoso ter chegado as minhas mãos!
Amém
PAZ




Carta de um herege!


Amado de Deus, que bom estarmos unidos agora...e unidos porque servimos ao mesmo Rei e Senhor Jesus!
Antes de ler esta carta que recebi por email da Associação do Senhor Jesus, gostaria de te fazer um convite a adorar a Jesus, como Rei e Senhor de sua vida, de sua história, do seu pobre coração!
"Jesus, muito obrigado por me chamar a participar do seu Reino de Amor. Jesus, muito obrigado por me revelar qual é o verdadeiro amor. Sim, Jesus, te agradeço por Se revelar a meu pobre coração, tão necessitado de Sua verdade. Eu te agradeço Senhor, por todo Sangue Derramado na Cruz, por todo sofrimento que enfrentou para nossa salvação e pela sua vitória sobre a morte, a sua ressurreição onde coloco toda a minha confiança Senhor...Adoro-Te, Senhor na sua Via Sacra, e adoro-Te na sua presença humilde no Santíssimo Sacramento e com toda a Igreja aguardo ansiosamente a sua vinda gloriosa, que acredito, espero, confio plenamente e espero com alegria por este momento, onde o Senhor assentado no Trono, revelará a Verdade a todos, mesmo aos que nunca quiseram ouvir...que eu não seja um deles Senhor, que esteja sempre atenta ao Teu Chamado, a Tua Voz, meu Senhor e meu Deus. Amém!" 


Carta de um herege
É este o vosso rei? Prostrado no Horto, tendo a face por terra, tendo a alma triste até a morte?
Pense bem, isso não acontece com um rei. Um rei goza de prazeres e tem servos prostrados aos vossos pés. Tem dinheiro, fama e delícias, como se entristecer com uma vida assim? Um rei não conhece a tristeza e a agonia.
Oh… perdoem-me, cristãos, vosso rei era tão pobre que não tinha onde reclinar a cabeça para descansar e era um simples filho de carpinteiro, não é?
Vejam quem vem lá… olhem, cristãos, o vosso rei com um manto encharcado do próprio sangue; uma coroa de espinhos e um cedro de cana… Que rei esfarrapado! É esse o vosso rei? Respondam, cristãos?! Ele não abre a boca… não dá uma ordem, recebe cusparadas na face desfigurada e permanece em silêncio… cadê a sua autoridade? simples soldadinhos brincam com a suposta majestade do vosso rei, onde está o seu poder? A sua glória? Porque não reage?
Vosso rei vai morrer da forma mais dolorosa e infame e permanece calado. E onde estão os seus seguidores? Há poucos dias o aclamavam e hoje vejo poucos que permanecem com ele, um rei não acabaria assim, abandonado…
Vejam suas mãos e seus pés, seu corpo dilacerado, isso não acontece com um rei…
Cadê o seu exército?
Entre dois ladrões ele foi pregado e diz poucas palavras entre o sangue abundante e as lágrimas.
Pense bem, cristãos, um rei não morre assim…
Resposta de um cristão
Sim, este é o meu Rei – Meu Senhor Jesus Cristo – e o Seu Reino não é deste mundo.
Veio para nos ensinar a humildade, a mansidão e a bem sofrermos. Sua glória está em servir e não em ser servido. Veio nos salvar e por isso Se ofereceu como Vítima imaculada.
Oh! meu Rei, que cegueira a deste mundo… quantos entregues a ídolos, mesmo depois de Vossa morte ignominiosa por todos os homens; escravos das riquezas, das honras e dos louvores humanos, Vos ignoram por orgulho, por não aceitarem que és Rei, mesmo entre as dores.
Um dia tremerão diante de Vossa vinda triunfante, quando julgarás todos os povos; triste dia será o desses hereges que não aceitaram o Vosso Amor, no Calvário.
Triste dia!… e então, ao verem os seus “reis de areia” serem aniquilados por Vossa justiça, dirão: Malditos somos, por não aceitarmos servir ao verdadeiro e único Rei, o Rei dos cristãos; malditos somos!
Venha, Rei dos exércitos, e nos ensine a sermos Vosso fiéis soldados!
Assim seja.



PAZ!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Festa de Nossa Senhora Auxiliadora

 
A DEVOÇÃO A MARIA AUXILIADORA

A devoção a Nossa Senhora Auxiliadora, tem seu começo em datas muito remotas, nascida no coração de pessoas piedosas que espalharam ao seu redor a devoção mariana. Assim a Mãe de Deus foi sempre conhecida como condutora da felicidade de todo ser humano. E Maria, sempre esteve junto ao povo, sobretudo do povo simples que não sofre as complicações que contornam e desfazem, muitas vezes, a vida humana, mas que é levado pelas emoções e certezas apontadas pela simplicidade do coração.

Em 1476, o Papa Sisto IV deu o nome de “Nossa Senhora do Bom Auxílio” a uma imagem do século XIV-XV, que havia sido colocada em uma Capelinha, onde ele se refugiou, surpreendido durante o caminho, com um perigoso temporal. A imagem tem um aspecto muito sereno, e o símbolo do ‘auxílio’ é representado pela meiguice do Menino segurando o manto da Mãe.

Com o correr dos anos, entre 1612 e 1620, a devoção mariana cresceu, graças aos Barnabitas, em torno de uma pequena tela de autoria de Scipione Pulzone, representando aspectos de doçura, de abandono confiante, de segurança entre o Menino e sua santa Mãe. A imagem ficou conhecida como “Mãe da Divina Providência”. Esta imagem tornou-se como que meta para as peregrinações de muitos devotos e também para muitos Papas e até mesmo para João Paulo II. Devido ao movimento cristão em busca dos favores e bênçãos de Nossa Senhora e de seu Filho, o Papa Gregório XVI, em 1837, deu-lhe o nome de “AUXILIADORA DOS CRISTÃOS”. O Papa Pio IX, há pouco tempo eleito, também se inscreveu no movimento e diante desta bela imagem, ele celebrou a Missa de agradecimento pela sua volta do exílio de Gaeta.     
Mais tarde também foi criada a ‘Pia União de Maria Auxiliadora’, com raízes em um bonito quadro alemão.

E chega o ano de 1815:  Nasce aquele que será o grande admirador, grande filho, grande devoto da Mãe de Deus e propagador da devoção a Maria Auxiliadora, o Santo dos jovens: SÃO JOÃO BOSCO. Neste ano era também celebrado o Congresso de Viena e foi a época em que, com a queda do Império Napoleônico, começa a Reestruturação  Européia com restabelecimento dos reinos nacionais e das suas monarquias dinásticas 

Em 1817, o Papa Pio VII benzeu uma tela de Santa Maria e conferiu-lhe o título de “MARIA AUXILIUM CHRISTIANORUM”.
Os anos foram se sucedendo e o rei Carlo Alberto, foi a cabeça do movimento em prol da unificação da Itália, e ao mesmo tempo, os atritos entre Igreja e Estado, deram lugar a uma forte sensibilização política, com atitudes suspeitas para com a Igreja. E como não podia deixar de ser, Dom Bosco, lutador e defensor insigne da Igreja de Cristo, ficou sendo mira forte do governo e foi até obrigado a fugir de alguns atentados. Sim, tinha de fato inimigos que não viam bem sua postura positiva a favor da Igreja e nem tão pouco a emancipação da classe pobre, defendida tenazmente pelo Santo.
Pio IX, então cabeça da Igreja, manifestou-se logo a favor de uma devoção pessoal para com a Auxiliadora e quando este sofrido Pontífice esteve no exílio, o nosso Santo lhe enviou 35 francos, recolhidos entre seus jovens do oratório. O Papa ficou profundamente comovido com esta atitude e conservou uma grande lembrança deste gesto de afeto de D.Bosco e da generosidade dos rapazes pobres.
E continuam muitas lutas políticas, desavenças, lutas e rixas entre Igreja e Estado.  Mas a 24 de maio, em Roma, o Papa Pio IX preside uma grandiosa celebração em honra de Maria Auxiliadora, na Igreja de Santa Maria.  E em 1862, houve uma grandiosa organização especificamente para obter da Auxiliadora, a proteção para o Papa diante das perseguições políticas que ferviam cada vez mais, em detrimento para a Igreja de Jesus Cristo.
Nestes momentos particularmente críticos, entre 1860-1862 para a Igreja, vemos que D.Bosco toma uma opção definitiva pela AUXILIADORA, título este que ele decide concentrar a devoção mariana por ele oferecida ao povo. E justamente em 1862, ele tem o “Sonho das Duas Colunas” e no ano seguinte seus primeiros acenos para a construção do célebre e grandioso Santuário de Maria Auxiliadora. E esta devoção à Mãe de Deus, desde então se expandiu imediata e amplamente.             

Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a "Virgem de Dom Bosco".
Escreveu o santo: “A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso".

Oração a Nossa Senhora Auxiliadora, Protetora do Lar

Santíssima Virgem Maria
a quem Deus constituiu Auxiliadora dos Cristãos,
nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa.
Dignai-vos mostrar aqui Vosso auxílio poderoso.
Preservai esta casa de todo perigo:
do incêndio, da inundação, do raio, das tempestades,
dos ladrões, dos malfeitores, da guerra
e de todas as outras calamidades que conheceis.
Abençoai, protegei, defendei,
guardai como coisa vossa
as pessoas que vivem nesta casa.
Sobretudo concedei-lhes a graça mais importante,
a de viverem sempre na amizade de Deus,
evitando o pecado.
Dai-lhes a fé que tivestes na Palavra de Deus,
e o amor que nutristes para com Vosso Filho Jesus
e para com todos aqueles
pelos quais Ele morreu na cruz.
Maria, Auxílio dos Cristãos,
rogai por todos que moram nesta casa
que Vos foi consagra
da.
Amém.


PAZ!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

ORIGEM DA ORAÇÃO SALVE RAINHA

Amado de Deus, este artigo sobre a origem da oração Salve Rainha, que rezamos todos os dias depois do terço,  encontrei no blog Santissima Mãe e por ter tocado imensamente o meu coração de filha, resolvi postá-lo para que você também possa fazer a experiência de louvor a Nossa querida Mãe Maria!
Quando se ama tudo se quer saber sobre o ser amado, sendo assim, aprendam sempre e cada vez mais sobre a Nossa Mãe Maria!
PAZ!





"- A “Salve Rainha” é uma da orações mais populares entre os católicos. De tão repetida, é rezada às vezes, de forma maquinal, sem que se sinta da profunda emoção que a percorre do princípio ao fim. Por isso, para recuperar toda sua vibração original, pode ser útil analisar, uma por uma, as estremecidas palavras que a conformam.

Quem compôs esta prece tinha uma experiência muito viva das misérias da vida humana. Nesta prece “bradamos” como “degredados”, “suspiramos gemendo e chorando”, vemos o mundo como “um vale de lágrimas”, como um “desterro”... Entretanto, essa melancólica visão da vida acaba dissolvendo-se num sentimento de doce esperança que a ultrapassa e domina. Com efeito, se ao considerar a condição humana, o autor da prece só vê motivos de tristeza, ao fixar sua atenção naquela a quem a dirige, mostra-se animado por um horizonte de expectativas reconfortantes e consoladoras, pois ela, a Virgem Maria, é “mãe de misericórdia”... “vida, doçura, esperança”... “advogada” de “olhos misericordiosos”...

Captaremos melhor o estado de ânimo de que brotou esta comovente oração se lembrarmos quem a compôs e em que circunstâncias. Ela é atribuída ao monge Herman Contrat que a teria escrito por volta de 1.050, no mosteiro de Reichenan, na Alemanha. Eram tempos terríveis aqueles na Europa central: sucessivas calamidades naturais, destruindo as colheitas, epidemias, miséria, fome e morte por toda parte... e, como não se bastasse, a ameaça contínua dos povos bárbaros do Leste que invadiam os povoados, saqueando e matando, destruindo tudo, inclusive igrejas e conventos... Frei Contrat tinha consciência da infortunada época em que vivia, mas tinha outras razões, além das agruras da vida de seus contemporâneos, para a aflição e o desconsolo. E não podia fechar os olhos para elas, pois as carregava no seu corpo: ele nascera raquítico e deforme; adulto, mal conseguia andar e escrevia com dificuldade, de mirrados que eram os dedos das suas mãos...

Foi no fundo de todas as misérias, as próprias e as alheias, que a alma de Frei Contrat elevou à Rainha dos céus essa maravilhosa prece, carregada de sofrimento e esperança, que é a “Salve Rainha”. Mas, se foi capaz de fazê-lo foi porque, no mais íntimo de seu ser cintilava, sobre a paisagem desolada do mundo, a figura esplendorosa e amável da Mãe de Jesus... Contam que, no dia do seu nascimento, ao constatarem o raquitismo e mal formação do bebê, seus pais caíram em prantos. Sua mãe Miltreed, mulher muito piedosa, ergueu-se então do leito e, lá mesmo, consagrou o menino à Mãe de Deus. Consagrado a Ela, foi educado no amor e na confiança em relação à Ela. E foi com essa bagagem na alma que anos mais tarde foi levado (de liteira, pois continuava sendo um deficiente físico) até o mosteiro de Reichenan, onde com o tempo chegou a ser mestre dos noviços, pois o que tinha de inapto seu corpo, tinha de perspicaz seu espírito.

Quando veio a ser conhecida pelos fiéis a “Salve Rainha” teve um sucesso enorme e logo era rezada e cantada por toda parte. Um século mais tarde, ela foi cantada também na catedral de Espira, por ocasião de um encontro de personalidades importantes, entre elas, a do imperador Conrado e a do famoso São Bernardo, conhecido como o “cantor da Virgem Maria”, pelos incendidos louvores que lhe dedicava nos seus sermões e escritos (ele foi um dos primeiros a chamá-la de “Nossa Senhora”). Dizem que foi nesse dia e lugar que, ao concluir o canto da “Salve Rainha” (cujas últimas palavras eram “mostrai-nos Jesus, o bendito fruto do vosso ventre”), no silêncio que se seguiu, ouviu-se a voz potente de São Bernardo que, num arrebato de entusiasmo pelo mãe do Senhor, gritou, sozinho, no meio da catedral: “ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria”... E a partir dessa data estas palavras foram incorporadas à “Salve Rainha” original.
Nos quase mil anos que se passaram desde que Herman Contrat compôs a “Salve Rainha” uma multidão incontável de fiéis tem se identificado como os sentimentos que ela expressa, vivendo desde sua aflição a doce esperança que inspira sempre a figura amável e amada da Mãe do nosso Salvador."

A verdadeira liberdade!




                      Amado de Deus, estou feliz com sua visita!
Veja, o que nos uniu agora, foi a sua liberdade de escolha, e sobre esta liberdade quero falar um pouco.
Na liturgia de hoje, Jesus esclarece:


"Por isso o Pai me ama, porque dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou livremente. Tenho poder de entregá-la e de retomá-la." (Jo, 10, 17,18)

Desta forma, queridos, Jesus nos mostra que à Ele foi dada a liberdade de escolha pela Cruz ou não e como foi tentado nosso Senhor no deserto, no horto e depois na própria cruz, mas venceu as tentações pela obediência, pelo desejo de fazer a Vontade do Pai.
O mundo de hoje prega algo bem diferente de Jesus, a busca da própria felicidade...sou livre para ser feliz!
Então as pessoas confundem a liberdade ensinada por Jesus, para uma liberdade que nos leva a um exagero no amor próprio: faço apenas o que me agrada, os demais que se "lixem"!
Um pensamento egoísta cada vez mais é plantado pelo demônio em nossa sociedade e o que vemos são pessoas cada vez mais infelizes, sozinhas, independentes...busco a minha própria felicidade, mas sou infeliz!
Jesus condiciona a sua escolha, a sua obediência, ao amor do Pai, "Por isso o Pai me ama..."
Esta liberdade, meus irmãos, consiste na loucura da cruz!
Quantas vezes, na minha vida fui indagada assim: "Mas porque você aguenta tudo isto?"
E, quantas soluções mundanas me são apresentadas...fico ouvindo tudo e depois, na minha miséria apresento tudo a Jesus, Senhor da minha vida, e digo sempre: "Sei que pelo mundo é tão fácil resolver isto Senhor, mas escolho o Teu Caminho, a Tua Verdade, pois somente em Ti é que posso encontrar vida e vida em abundância!"
Então, na maioria das vezes me reservo o direito de silenciar os meus motivos, porque para entender a loucura da cruz é necessário, antes de tudo, experimentar a alegria da ressurreição...não somos deste mundo, pertencemos ao Pai e à Ele, só à Ele devemos prestar contas...
É por isso que o Pai nos ama...
Jesus também ensina que dar a vida sem medo para que o Plano do Pai se realize, por obediência ao Plano salvífico do Pai, nos garante o direito de retomá-la, isto é, o sentido da sua vida, a verdadeira felicidade, a sua missão, que não é outra senão ser cúmplice de Jesus em salvar almas...
Meditando sobre tudo isto, hoje pela manhã, meu coração desejou, mas uma vez, "perder"a minha vida por amor a Jesus...assim, por escrito, apresentei para Ele os meus planos para esta semana e disse: "submeto tudo, tudo mesmo, Senhor, à Sua Vontade..."
Completei meu louvor, minha suplica no salmo 41, meditado na liturgia de hoje:
"Minha alma tem sede do Deus vivo; quando voltarei a ver a face de Deus?
As lágrimas são meu pão noite e dia, e todo o dia me perguntam: "Onde está o teu Deus?" Começo a recordar as coisas e minha alma em mim se derrama: quando eu passava, sob a Tenda do Todo Poderoso, em direção à casa de Deus, entre gritos de alegria, a ação de graças e o barulho da festa. Por que te curvas, ó minha alma, gemendo dentro de mim? Espera em Deus , eu ainda o louvarei, a salvação da minha face e meu Deus!"

Então percebi que todos os "santos" (não falo apenas dos santos de altar, mas de todos aqueles que, sendo pecadores, buscam a conversão todos os dias) vivem a angústia da escolha pela cruz, as cobranças daqueles que te cercam que misturam a felicidade verdadeira com aquela que se pode ver e apalpar, quando na verdade, estes "santos" vivem a felicidade interior, a paz , a alegria do amor do Pai que nos sustenta com seu braço forte..."É por isso que o Pai me ama..."
Falou, ainda o Senhor em 2 Mac  10, 22-31 - Ao lado desta Palavra, em minha Bíblia, escrevi: "Libertação alcançada pela fidelidade ao Plano e Vontade do Pai e perseverança na confiança e certeza da vitória alcançada para nós por Jesus!"
Não podemos esquecer jamais que a nossa luta já foi vencida por Jesus!
Depois, ainda, falou-me o Senhor pelo Diário da Irmã Faustina, pag.371, 1462:
"Jesus deu-me a conhecer que eu deveria corresponder com maior fidelidade às inspirações da graça e que a minha vigilância fosse mais sutil."
E depois:
Pag.372, 1465: "Conheci que o meu sofrimento e a minha oração tolhiam o demônio e arrancavam muitas almas das suas garras."
Então, nos ensina Irmã Faustina que a perseverança no cumprimento da Vontade do Pai é atitude exorcista e faz com que o demônio perca suas forças diante das almas pelas quais oferecemos e pela nossa própria alma também!
Sendo assim, querido irmão, coragem e força! 
Seja livre para se abster do pensamento demoníaco deste mundo que prega a sua própria felicidade em detrimento de tantos outros e aceite, aceite fazer a Vontade do Pai e, te garanto experimentará uma felicidade sem igual!
Acredite, Confie! É por isso que o Pai te ama!
Estamos juntos nesta, não está só!
Sejamos suportes uns dos outros, animemo-nos sempre, irmão, Jesus é a nossa força!
PAZ! 

terça-feira, 10 de maio de 2011

Feedback encontro para catequese sobre a Missa!


Amado de Deus,
Postei aqui no dia 28/03/2011 uma motivação para encontro de catequese sobre a Santa Missa.
Exprimi a dificuldade que, como catequista de jovens crismandos, encontro para motivá-los a frequentar a missa aos domingos, pelo menos.
Animei o primeiro encontro com os pais da maneira como sugeri aqui, enfatizando não só a participação da Santa Missa aos domingos, como também a uma participação mais efetiva dentro da comunidade.
Não houve muitas participações dos pais, um silêncio só, alguns poucos, os que já participam e/ou frequentam a Santa Missa é que fizeram breve comentário, os demais permaneceram em silêncio.
Alguns catequizandos estavam desacompanhados dos pais, mas participaram do encontro normalmente.
Outro dia, estava eu terminando o meu grupo de oração, quando uma senhora se dirigiu a mim e disse:
"Deixe eu dar um abraço na catequista do meu neto! Preciso te agradecer por ele!"
E eu abracei e ela me contou que o neto participou do encontro sobre a missa sozinho, sem a companhia dos pais e que depois deste dia ele disse para mãe que queria uma Bíblia nova, só dele. E não é só,  disse para ela que não mais faltaria a Missa aos domingos mesmo que fosse sozinho, sem os pais. E que, mesmo que os pais não fossem teriam que dar um jeito para levá-lo e buscá-lo na Missa. E com isto, a familia toda passou a ir a Missa aos domingos pela manhã. A avó que é uma mulher de Deus, estava super feliz!
Não é uma maravilha ouvir isto? 
Não podemos desanimar jamais, temos que falar, temos que pregar, não podemos nos calar...a semente tem que ser lançada...Deus mesmo se encarrega de fazê-la brotar, como fez na vida desta família!
Deus seja louvado pela vida deste garoto, tão pequeno e já tão persistente! Aleluia!
PAZ!

Recadinho de Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face!

Amado de Deus, por várias vezes mencionei aqui no blog a minha amizade com Santa Teresinha, animando-lhe a buscar com ela uma relação mais intima e estreita.
Já postei a Novena das Rosas e declaro que, muitas foram as oportunidades em que Santa Teresinha me atendeu, dando-me a rosa e a graça!
É certo, também, que por muitas vezes a graça demorou muito, mas, também, em nenhuma das oportunidades que recebi a rosa fiquei sem a graça...Santa Teresinha sempre cumpre o que prometeu, intercede por nós junto a Jesus e nos alcança, por seus méritos, as graças que pedimos e que estão de acordo com os planos do Pai.
Na postagem do dia 21 de setembro de 2010 relatei uma das oportunidades de manifestação desta intimidade e amizade com Tereca, como eu a chamo carinhosamente...
Lembro-me ainda que terminei a minha novena do Sagrado Coração de Jesus, das nove primeiras sextas feiras do mês na festa de Santa Teresinha e, quando cheguei a missa perguntei para Jesus se tinha conseguido alcançar a graça de fazê-la com frutos. Ajoelhada e conversando com Jesus, antes de iniciar a missa, meu querido amigo Lazinho, já falecido, me falou: "Bem, hoje estava rezando quando no meu coração veio a sua imagem e do seu as imagens do Sagrado Coração de Jesus, do Imaculado Coração de Maria e da Tereca, Eles, o céu, estava muito feliz por voce ter alcançado uma graça..." Fiquei tão emocionada e feliz que não consigo aqui nem descrever o que senti...nossa o céu me respondeu rapidinho e lá estava a minha amiga, Tereca, intercedendo por mim novamente...
Hoje, com o coração cheio de preocupações que já se delongam há anos, principalmente pelo julgamento das pessoas que me vêem como uma amaldiçoada, iniciei uma novena a minha amiga, pedindo sua ajuda, e depois pedi a Ela que falasse comigo através de um  livro que tenho, de mensagens suas... veja que conselho maravilhoso ela me deu:







"Aquela que construíra a Igreja...


"Li, contava-nos Irmã Teresa, que um grande senhor, desejando construir uma igreja, publicou um édito proibindo a seus vassalos a menor esmola para esse fim, pois queria só para si toda a glória. Construiu-se assim a igreja. Um dia, porém, vendo uma pobre velhinha os cavalos que carregavam as pedras, subirem com dificuldade a colina, disse consigo mesma: "É proibido das dinheiro para ajudar a construção desse templo de Deus, gostaria entretanto de contribuir. E se eu ajudasse os pobres animais que trabalham inconscientemente nesta grande obra? O Senhor talvez ficasse contente?" Com alguns centavos, os últimos que possuía, comprou um feixe de feno e deu-o aos cavalos. 
"Terminada a igreja, o senhor quis celebrar a dedicação, e para isso mandou gravar na pedra seu nome e o de sua familia, como testemunho imortal de sua liberdade. Mas eis que no dia seguinte, este nome achava-se apagado e lia-se em seu lugar o de uma pobre mulher desconhecida. Furioso, mandou o senhor refazer a inscrição várias vezes. Repetia-se sempre o mesmo milagre. Finalmente ordenou que se fizessem pesquisas. Encontrando  a pobre mulher, perguntou-lhe se tinha dado alguma cousa para construir a igreja. Tremendo, ela o negou. Enfim assaltada de perguntas, lembrou-se do feixe de feno. Disse, então que, segundo  a proibição não dera dinheiro, mas unicamente auxiliara os cavalos, dando-lhes um pouco de feno. compreendeu-se então porque seu nome apareceu inscrito na pedra, e ninguém ousou apagá-lo.
"Assim, concluiu Teresa, vejam bem que o menor ato, o mais oculto, feito por amor tem, muitas vezes, mais valor que as grandes obras. Não é a santidade aparente das ações que vale,mas unicamente o amor que se põe nelas. Ninguém poderá dizer que não pode dar essas coisinhas a Deus, pois estão ao alcance de todos."
(Conselhos e Lembranças - Teresa de Lisieux - pg. 62)


Então, amado de Deus que trabalha no silêncio do seu coração, o desafio que te proponho hoje é a oração, reze, reze pelas pessoas que passarem na tua vida no dia de hoje, ajude-as a construir sua IGREJA, o seu CÉU...que sua oração seja o alimento que as sustentará...e, seja generoso!


PAZ