terça-feira, 31 de julho de 2012

Material para encontro de catequese: Sacramento do Batismo



Queridos e amados de Deus, como são importantes para nós os Sacramentos da nossa Igreja!
São eles o "sangue" que verte na "veia da fé" da nossa Igreja e que, portanto, dá vida e anima o povo de Deus!
Mas, quantos são aqueles que Os valorizam?
É preciso que a catequese seja feita! É preciso que as pessoas compreendam a importância dos Sacramentos, entendendo, também, cada um na sua particular importância...
Vou publicar aqui material tirado do Catecismo maior de Pio X, em forma de perguntas e respostas, de fácil compreensão, e que pode ser uma ótima dica de ensino para encontros catequéticos.
Escrito pelo Papa Pio X de forma bem simples e clara, certamente será de muito valia para quem os ler.
Iniciarei com os Sacramentos da Iniciação Cristã: O Batismo, A Eucaristia e a Crisma ou Confirmação.
Aqui no blog, ainda, você vai encontrar outros materiais para uso em encontro sobre os Sacramentos que, da mesma forma, são muito bons, pesquise, informe-se, conheça, afinal é impossível se amar o que não se conhece!
Conheça a sua Igreja, seus tesouros, e você vai descobrir uma nova maneira de amá-La, de defende-La, de difundi-La!
Força!
Coragem!
Jesus precisa de sua ajuda!
PAZ


SACRAMENTO DO BATISMO



§ 1º. - Natureza e efeitos do Batismo

549) Que é o Sacramento do Batismo?
O Batismo é o Sacramento pelo qual renascemos para a graça de Deus, e nos tornamos cristãos.
550) Quais são os efeitos do Sacramento do Batismo?
O Sacramento do Batismo confere a primeira graça santificante, que apaga o pecado original e também o atual, se o há; perdoa toda a pena por eles devida; imprime o caráter de cristão; faz-nos filhos de Deus, membros da Igreja e herdeiros do Paraíso, e torna-nos capazes de receber os outros Sacramentos.
551) Qual é a matéria do Batismo?
A matéria do Batismo é a água natural, que se derrama sobre a cabeça do que é batizado, de maneira que escorra.
552) Qual é a forma do Batismo?
A forma do Batismo é esta: Eu te batizo em nome do Padre e do Filho e do Espírito Santo.

§ 2º. - Ministro do Batismo
553) A quem compete batizar?
Batizar compete por direito aos Bispos e aos párocos; mas, em caso de necessidade, qualquer pessoa pode batizar, seja homem ou seja mulher, e até um herege ou um infiel, contanto que realize o rito do Batismo e tenha intenção de fazer o que faz a Igreja.
554) Se houver necessidade de batizar uma pessoa que está em perigo de morte, e estiverem muitas pessoas presentes, quem é que deverá batizar?
Se houver necessidade de batizar alguém em perigo de morte, e estiverem muitas pessoas presentes, deverá batizá-lo o Sacerdote, se lá estiver; na sua falta, um eclesiástico de ordem inferior, e na falta deste, o leigo homem de preferência à mulher, a não ser que a perícia maior da mulher ou a decência exijam o contrário.
555) Que intenção deve ter quem batiza?
Quem batiza deve ter a intenção de fazer o que faz a Santa Igreja ao batizar.

§ 3º. - Rito do Batismo e disposições de quem o recebe já adulto
556) Como se batiza?
Batiza-se derramando água sobre a cabeça do batizando, ou, não podendo ser sobre a cabeça, sobre qualquer outra parte principal do corpo, e dizendo ao mesmo tempo: Eu te batizo em nome do Padre e do Filho e do Espírito Santo.
557) Se alguém derramasse a água e outro proferisse as palavras, a pessoa ficaria batizada?
Se alguém derramasse a água, e outro proferisse as palavras, a pessoa não ficaria batizada; é necessário que seja a mesma pessoa que derrame a água e pronuncie as palavras.
558) Quando se duvida se a pessoa está morta, deve-se deixar de batizá-la?
Quando se duvida se a pessoa está morta, deve-se batizá-la sob condição, dizendo: Se estás vivo, eu te batizo em nome do Padre e do Filho e do Espírito Santo.
559) Quando se devem levar à Igreja as crianças para serem batizadas?
As crianças devem ser levadas à Igreja para serem batizadas, o mais cedo possível.
560) Por que se deve ter tanta solicitude em levar as crianças ao Batismo?
Deve-se ter suma solicitude em levar a batizar as crianças, porque elas pela sua tenra idade estão expostas a muitos perigos de morrer, e não podem salvar-se sem o Batismo.
561) Pecam então os pais e as mães que, pela sua negligência, deixam morrer os filhos sem Batismo ou simplesmente demoram em fazê-lo?
Sim, os pais e as mães, que pela sua negligência deixam morrer os filhos sem Batismo, pecam gravemente, porque os privam da vida eterna; e pecam também gravemente, demorando muito tempo o Batismo, porque os expõem ao perigo de morrer sem o terem recebido.
562) Quando o que se batiza é adulto, que disposições deve ter?
O adulto que se batiza deve ter, além da fé, a dor, pelo menos imperfeita, dos pecados mortais que tivesse cometido.
563) Se um adulto se batizasse em pecado mortal, sem esta dor, que receberia?
Se um adulto se batizasse em pecado mortal, sem esta dor, receberia o caráter do Batismo, mas não a remissão dos pecados, nem a graça santificante; e estes efeitos ficariam suspensos, enquanto não fosse removido o impedimento pela dor perfeita dos pecados ou pelo Sacramento da Penitência.

§ 4º. - Necessidade do Batismo e deveres dos batizados
564) É o Batismo necessário para a salvação?
O Batismo é absolutamente necessário para a salvação, porque o Senhor disse expressamente: Quem não renascer na água e no Espírito Santo, não poderá entrar no reino dos céus.
565) Pode suprir-se de algum modo a falta do Batismo?
A falta do Batismo pode supri-la o martírio, que se chama Batismo de sangue, ou um ato de amor perfeito de Deus, ou de contrição, junto com o desejo, ao menos implícito, do Batismo, e este ato chama-se Batismo de desejo. 
566) A que fica obrigado quem recebe o Batismo?
Quem recebe o Batismo, fica obrigado a professar sempre a fé e a observar a lei de Jesus Cristo e da sua Igreja.
567) A que se renuncia ao receber o santo Batismo?
Ao receber o santo Batismo renuncia-se para sempre ao demônio, às suas obras e às suas pompas.
568) Que se entende por obras e pompas do demônio?
Por obras e pompas do demônio, entendem-se os pecados e as máximas do mundo, contrárias às máximas do Santo Evangelho.

§ 5º. - Nome e padrinhos
569) Por que se impõe o nome de um Santo ao que se batiza?
Ao que se batiza, impõe-se o nome de um Santo, para o pôr sob a especial proteção de um padroeiro celeste, e para o animar a imitar-lhe os exemplos.
570) O que são os padrinhos e as madrinhas do Batismo?
Os padrinhos e as madrinhas do Batismo são aquelas pessoas que por disposição da Igreja seguram as crianças junto à pia batismal, respondem por elas, e ficam responsáveis, diante de Deus, pela educação cristã das mesmas, especialmente se vierem a faltar os pais.
571) Somos nós obrigados a cumprir as promessas e renúncias que por nós fizeram nossos padrinhos?
Sim, somos obrigados, sem dúvida, a cumprir as promessas e renúncias que por nós fizeram os nossos padrinhos, porque Deus, só mediante estas condições, nos recebeu na sua graça.
572) Que pessoas se devem escolher para padrinhos e madrinhas?
Devem escolher-se para padrinhos e madrinhas pessoas católicas e de bons costumes, e observantes das leis da Igreja.
573) Quais são as obrigações dos padrinhos e das madrinhas?
Os padrinhos e as madrinhas são obrigados a cuidar que os seus filhos espirituais sejam instruídos nas verdades da fé, e vivam como bons cristãos, edificando-os com o bom exemplo.
574) Que vínculo contraem os padrinhos do Batismo?
Os padrinhos contraem um parentesco espiritual com o batizado, e este parentesco origina impedimento de matrimônio com o mesmo.

domingo, 29 de julho de 2012

"Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes que padeça" (Luc 22, 15)





Amados irmãos, depois de passar alguns dias no Agapeterapia, na presença constante de Jesus Eucarístico, me deparo com este texto escrito por Santo Afonso Maria de Ligorio, que benção!
E posso afirmar por experiência própria quanto Jesus opera nos homens e mulheres que se dispõe a permanecer com Ele, um pouquinho que seja, na Eucaristia...
Por isto eu te convido: VOLTE A ADORAR, VOLTE A VISITAR NOSSO SENHOR NA EUCARISTIA, VALORIZE CADA MOMENTO EM SUA PRESENÇA, DEIXE-SE SER MUDADO POR ELE...
Não despreze tanto AMOR...
Busque, se possível, a Eucaristia diária, sustento para sua vida, é o combustível de amor necessário para ser feliz e completo...
Decida-se assim, e Jesus fará o resto...
PAZ









Desiderio desideravi hoc Pascha manducare vobiscum, antequam patiar ― «Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes que padeça» (Luc 22, 15).

Sumário. Nenhuma abelha esvoaça com tanta avidez sobre as flores para lhes sorverem o mel, como Jesus vai morar nas almas que o desejam. Eis porque no Evangelho nos convida tantas vezes a que nos aproximemos dele na santa Comunhão. Faz tantas promessas e tantas ameaças, para manifestar o grande desejo que tem de unir-se conosco. Que ingratidão, pois, se não correspondemos a tão grande amor!

I. Jesus Cristo chama hora sua a noite em que devia começar a sua paixão. Mas como é que pode chamar uma hora tão funesta a sua hora? É porque foi a hora por ele almejada em toda a sua vida, visto que havia determinado que naquela noite havia de nos deixar a santa Comunhão, destinada a consumar a sua união com as almas diletas, pelas quais devia em breve dar o sangue e a vida. Eis aqui o que naquela noite Jesus disse a seus discípulos: Desiderio desideravi hoc pascha manducare vobiscum ― «Tenho desejado ansiosamente comer esta Páscoa convosco». Palavra pela qual o Redentor nos quis dar a entender o desejo ansioso que tinha de unir-se conosco neste santíssimo Sacramento de amor: desiderio desideravi ― «desejei ansiosamente»; estas palavras, diz São Lourenço Justiniani, saíram do Coração de Jesus abrasado em imenso amor.
  
Ora, a mesma chama que então ardia no Coração de Jesus, ainda está ardendo ali até ao presente; e a todos nós renova o convite feito então aos apóstolos de o receberem: Accipite et comedite, hoc est corpus meum (Mt 26, 26) ― «Tomai e comei: isto é o meu corpo». Além disso, para atrair-nos a recebê-lo com amor, promete o paraíso: Qui manducat meam carnem, habet vitam aeternam (Jo 6, 55) ― «Quem como a minha carne, tem a vida eterna». No caso contrário ameaça-nos com a morte eterna: Nisi manducaveritis carnem Filii hominis, non habebitis vitam in vobis (Jo 6, 54) ― «Se não comerdes a carne do Filho do homem, não tereis a vida em vós».
  
Estes convites, estas promessas, estas ameaças nasceram todas do desejo que tem Jesus Cristo de se unir conosco na santa comunhão, e este desejo nasce do amor que nos tem. «Não há abelha», disse um dia o Senhor a Santa Matilde, «que com tanta avidez esvoace sobre as flores para lhes sorver o mel, como eu anseio entrar nas almas que me desejam». Porque Jesus nos ama, quer ser amado de nós, e porque nos deseja seus, quer ser desejado, como diz São Gregório: Sitit sitiri Deus. Bem-aventurada a alma que se aproxima da mesa da comunhão com grande desejo de se unir a Jesus Cristo!
  
II. Adorável Jesus meu, não podeis dar-nos maiores provas de amor par anos fazer compreender quanto nos amais. Destes vossa vida por nós; ficastes no Santíssimo Sacramento, para que venhamos aí alimentar-nos de vossa carne, e quão grande desejo tendes que Vos recebamos! Como podemos ser sabedores de tantas finezas de vosso amor, sem ficarmos abrasados no vosso amor? Longe de mim, afetos terrenos, saí de meu coração; vós é que me impedis de arder por Jesus como ele arde por mim. Ó meu Redentor, que outros testemunhos de afeto posso eu ainda esperar, depois dos que me tendes dado? Por meu amor sacrificastes a vossa vida inteira; por meu amor abraçastes uma morte tão amarga e ignominiosa; por meu amor chegastes, por assim dizer, a aniquilar-Vos, reduzindo-Vos na Eucaristia a estado de alimento, para Vos dardes todo a mim. Ah, Senhor! não permitais que eu seja ingrato a tão grande bondade.
  
Graças vos dou pelo tempo que me concedeis para chorar minhas ingratidões e Vos amar. Arrependo-me, ó soberano Bem, de ter tantas vezes desprezado o vosso amor. Amo-Vos, ó Bondade infinita; amo-Vos, ó Tesouro infinito; amo-Vos, ó Amor infinito, digno de infinito amor. + Jesus, meu Deus, amo-Vos sobre todas as coisas. Por piedade, ajudai-me, ó meu Jesus, a banir do meu coração todos os afetos que não são para Vós, para que daqui por diante não deseje, não busque e não ame senão a Vós. Meu amado Redentor, fazei com que eu Vos ache sempre e sempre Vos ame. Apoderai-Vos de toda a minha vontade, para que queira somente o vosso beneplácito. Meu Deus, meu Deus, a quem então amarei, se não amo a Vós em quem se encontram todos os bens? Só a Vós quero, e nada mais. ― Ó Maria, minha Mãe, tomai meu coração e enchei-o de perfeito amor a Jesus. (II 406.)

quarta-feira, 11 de julho de 2012

As oito bem aventuranças de um lar!





Amado de Deus, bem vindo!
Em um dos sites que sigo, li estas oito bem aventuranças de um lar e fiquei encantada.
Até porque desejo imensamente que meu lar seja bem aventurado!
Tenho certeza que você também o quer, por isto resolvi postá-las.
Na catequese, também, estas bem aventuranças são ótimas ferramentas para se falar de um lar cristão, ou meditar sobre a Sagrada Família e o seu tesouro maior: viver com amor as Bem Aventuranças!
Afinal, ao contrário do que prega esta mundo, não é tão difícil assim buscar vive-las, pois que, como sempre digo, de nós Deus espera apenas o SIM, o pequenino SIM, o resto Ele mesmo é quem opera pela graça!
Mãos a obra, catequistas, passemos para frente esta maravilhosa meditação!
Mãos a obra, pais, procuremos fazer de nosso lar Bem Aventurado aos olhos de Deus!
PAZ




-AS OITO BEM AVENTURANÇAS DE UM LAR:



1) Bem-aventurada a casa onde se reza, porque Deus habitará dentro dela.

2) Bem-aventurada a casa onde se guardam as festas, porque seus moradores tomarão parte nas festas do céu.

3) Bem-aventurada a casa de onde se não sai para frequentar diversões mundanas, porque nela reinará a alegria cristã.

4) Bem-aventurada a casa cujos filhos são logo batizados, porque nela se criarão bem-aventurados para o céu.

5) Bem-aventurada a casa na qual se pratica a caridade para com os pobres, porque o trabalho de seus moradores será abençoado por Deus.

6) Bem-aventurada a casa onde os que morrem recebem os santos sacramentos, porque sua morte será tranquila e cheia de esperanças.

7) Bem-aventurada a casa onde se ama a doutrina cristã, porque nela jamais faltarão as consolações da religião.

8 ) Bem-aventurada a casa na qual pais e filhos mutuamente se edificam pelos exemplos de virtude, porque a felicidade e o contentamento aí morarão também.