quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Simplesmente ser feliz!







"As pessoas do mundo dizem que é demasiado difícil fazer a própria salvação. Nada há entretanto mais fácil: Observar os mandamentos de Deus e da Igreja, e evitar os sete pecados capitais; ou, então, se quiserdes, fazer o bem e evitar o mal; é só isto!

Os bons cristãos que trabalham em salvar a sua alma, estão antecipadamente felizes e contentes; gozam antecipadamente da felicidade do céu; serão felizes durante toda a eternidade. Ao passo que os maus cristãos que se condenam são sempre para lastimar; murmuram, são tristes, e sê-lo-ão durante a eternidade.

Um bom cristão, um avaro do céu, faz pouquíssimo caso dos bens da terra; pensa só em embelezar sua alma, em acumular aquilo que o deve contentar sempre, aquilo que deve sempre durar. Vêde os reis, os imperadores, os grandes da terra; são bem ricos; estão, porém, contentes? Se amam o bom Deus, sim. mas do contrário, não: não estão contentes. Eu de mim acho que não há nada tanto para lastimar como os ricos, quando não amam o bom Deus. 

Ide pelo mundo, de reino em reino, de riqueza em riqueza, de prazer em prazer, não achareis a vossa felicidade. A terra inteira não pode contentar uma alma imortal, da mesma sorte que uma pitada de farinha, na boca de um faminto, não pode saciá-lo."

S. João Maria Vianney, Pensamentos Escolhidos.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Deus cuida de tudo sempre!


Olá queridos amigos!
Hoje vou partilhar uma experiência maravilhosa que vivi ano passado, juntamente com meu filho caçula e meu marido.
Como já mencionei aqui, sou coordenadora administrativa de uma ONG que atende crianças de uma favela da minha cidade.
Diante da coordenação tentei, junto a diretoria, um benefício para os funcionários, inclusive para mim, de assistência médica, através de um convênio. Em reunião ficou decidido que poderiamos fazer o convênio, porém cada um assumiria o pagamento integral de sua parte, uma vez que a ONG, por hora, não teria condições de ajudar com qualquer porcentagem.
Diante do quadro de que a maioria dos funcionários não fariam o convênio por falta de condições financeiras para tanto, resolvi deixar para lá, porque não achei justo uns fazerem e outros não. Entendi ser esta situação bem contrária ao nosso objetivo na ONG que é justamente ajudar os mais necessitados.
Assumi o risco de ficar sem convênio.
Em um domingo, meu filho queixou-se de dor de barriga.
Tentei medicá-lo acreditando que seria gases, ou dor muscular por ele ter inciado academia.
A dor era muito forte e ele disse que não conseguiria ir a missa conosco.
Logo que recebi a comunhão tocou o telefone e era o Lucas, informando que não estava aguentando a dor.
Sem convênio médico, não restou outra alternativa senão recorrer ao posto de saúde.
Chegamos ao posto de saúde e nos deparamos com umas 10 pessoas na nossa frente, mais ou menos.
Entretanto, como já é esperado na rede pública de saúde, não tinha médico para atender. Tinhamos que aguardar chegar.
A dor só piorava e Lucas estava ficando impaciente. A dor era tanta que ele chegou a vomitar.
Suspeitava, em meu coração, ser uma crise de apêndice aguda.
Começei a rezar o Terço da Misericódia pedindo para Jesus agir nesta situação trazendo um médico que pudesse ajudar, não só ao Lucas, mas  a todos os que estavam ali.
Meu marido preocupado e nervoso por ver que a dor só estava aumentando, queria nos levar para o hospital, para ser atendido por um médico particular. Entretanto eu sabia que, se a minha suspeita de apêndice fosse real, Lucas passaria por uma intervenção cirúrgica e nós não teríamos condições de arcar com estas despesas.
Diante disto, e não querendo contrariar meu marido que estava muito nervoso, pedi para Jesus um sinal: "Senhor, se for apêndice mesmo, fazei que a rede particular tenha mais pessoas para serem atendidas na frente do Lucas do que aqui no posto..."
Meu marido nos deixou no posto e foi até o hospital mais próximo e estando lá mesmo me ligou dizendo que tinham umas cinquenta pessoas na frente!
Neste meio tempo, depois de ter rezado o terceiro ou quarto terço, o médico chegou e antes mesmo que meu marido chegasse no posto, Lucas foi atendido.
A suspeita de apêndice foi confirmada e o médico disse que não poderíamos deixar o posto até que o quadro de apêndice aguda fosse confirmado pelos exames de sangue e urina e, em caso positivo, se conseguisse um leito em algum hospital para ele ser operado em caráter de urgência.
Queridos irmãos, ficamos 12 horas no posto de saúde, aguardando, primeiro o resultado dos exames e depois o leito.
Embora esta situação difícil, Deus cuidou de nós o tempo inteirinho.
Segundo a enfermeira que estava de plantão, domingo é um dia onde muitas ocorrências chegam no posto de saúde e acreditem queridos irmãos, naquele dia, não chegou NENHUMA urgência. Ficamos eu, Lucas e meu esposo, em um quarto sozinhos, Lucas confortável em um leito, pode dormir  a noite toda, meu marido e eu também estávamos bem instalados com poltrona confortável. Durante a noite toda rezei, perdi a conta de quantos terços, pedindo a intervenção de Jesus.
O médico pediu alguns exames para constatar a inflamação da apêndice e que não poderíamos sair dali sem que o resultado dos exames chegassem.
Enquanto aguardávamos os resultados, em muitos momentos cheguei a ver anjos guardando a porta do quarto, para ninguém entrar ali, era uma calma , uma paz enorme.
Quando começou a amanhecer, fui atrás da enfermeira perguntar sobre estes resultados, e quando cheguei perto ouvi ela dizer para a companheira: "Não sei o que está acontecendo hoje, um domingo, madrugada, nenhuma ocorrência..." Imediatamente ela me viu e disse que o resultado já estava com o médico. Fui até o médico e ele disse que era mesmo apêndice e que Lucas teria que passar por uma cirurgia e que ele estava aguardando um posição da Santa Casa, para nos enviar para lá.
Voltei ao quarto, o silêncio continuou até que, lá pelas 6.00 hrs, chegou uma criança que foi levada para o nosso quarto. A enfermeira entrou com a criança de uns 3 anos, acendeu a luz, acordando o Lucas, que ainda sofria de dor.
Estava ao lado dele, sentada em uma cadeira e ele me disse chorando: "Mãe, não aguento ouvir o choro desta criança, por favor, Mãe, me tira daqui..." Eu respondi: "Vou pedir para Jesus!"
Resolvi fazer a ladainha da Misericórdia e, antes mesmo de terminar, a outra enfermeira chegou na porta dizendo que o médico tinha conseguido o leito na Santa Casa e que podíamos ir de carro mesmo levar o Lucas para lá...Meu coração pulava de alegria pela Providência Divina ter agido de modo tão imediato ao meu pedido...
Chegamos na Santa Casa. Os milagres continuaram acontecendo.
NENHUMA FILA.
Fiquei até espantada que cheguei a perguntar para o atendente que me respondeu: "Não sei o que está acontecendo hoje, dona, normalmente a fila é de 50 pessoas, no mínimo de espera, mas a senhora é a próxima a ser chamada. É só pegar a cadeira de rodas e levar seu menino, o médico já está esperando."
Chamei correndo meu marido, que não acreditou, depois de esperarmos 12 horas no posto, levou o Lucas para os médicos que nos informaram que a operação seria a tarde, pois a sala de cirurgia estava ocupada com algumas cesarianas urgentes.
Meu marido nervoso porque Lucas estava chorando de dor, saiu para ir ao banheiro, quando encontrou um conhecido antigo que perguntou o que ele estava fazendo ali...INCRÍVEL... este amigo médico é gastro, ou seja, responsável pela operação do Lucas...
Vocês podem imaginar como tudo ocorreu depois deste encontro...tenho certeza que Lucas não teria tratamento melhor se tivesse numa rede particular. Como este médico é o chefe da gastro, Lucas foi atendido da melhor maneira possível.
Ele saiu da sala de recuperação umas 17hrs e aguardamos a sua acomodação. Somente depois que Lucas estava no quarto que me lembrei que estava sem me alimentar pelo menos umas 20 horas, só com água...como chegamos no posto no domingo as 19 horas e de lá não saímos mais, e como o Lucas também precisava fazer o jejum necessário para cirurgia, fiquei como ele sem me alimentar até que tudo desse certo...O que me alimentou foi minha fé, foi minha esperança em Jesus, foi minha confiança cega em Deus...
Mas não foi tão fácil assim...
Quando Lucas foi levado na maca para a cirurgia eu prometi para ele que ficaria rezando o tempo todo... eu disse: "Filho, agora a mamãe fica de fora e quem assume o posto de Mãe é Nossa Senhora! Mas pode ficar tranquilo que não vou parar de rezar enquanto o médico não voltar dizendo que voce está bem!"
A partir deste momento começou o meu martírio, o demônio me tentando sobre o resultado da operação, sobre o fato de ter recusado fazer convênio, e etc...
Fui até a Capela do hospital e participei da Santa Missa. Mas, mesmo durante a Santa Missa o demônio não deixou de me fazer acusações e de tentar me derrubar, querendo me levar ao desespero e falta de fé.
O Lucas, é o filho que quase perdi afogado quando tinha 1 ano e 10 meses, cuja história postei aqui no blog "Cristo entrou em minha vida!". Neste post relato que no dia seguinte do afogamento do Lucas, todos os passarinhos da casa onde ele sofreu o acidente, amanheceram mortos...
Quando cheguei na segunda feira para trabalhar, qual não foi a minha surpresa quando me deparei, em cima de minha mesa, ao pé de uma Cruz que tenho de madeira, um passarinho morto! Acreditem irmãos, prova cabal da luta que travei com o demônio durante todo este episódio da cirurgia do Lucas.
"O universo combaterá ao seu lado contra os insensatos"
 (Sab 5, 20)
O beija-flor encontrado morto em cima da minha mesa, após a Vitória do Senhor na cirurgia do Lucas, lutou ao meu lado para que o demônio fosse vencido pela minha confiança em Deus.
E Deus, mais uma vez, foi fiel até o fim e não faltou a Santa Providência!
Relato isto, irmãos, para que sua fé se fortaleça e compreenda que os filhos de Deus serão postos sempre a prova, de uma forma ou de outra, como diz São Thiago:


"Considerai uma grande alegria, meus irmãos, quando tiverdes de passar por diversas provações, pois sabeis que a prova da fé produz em vós a constância. Ora, a constância deve levar a uma obra perfeita: que vos torneis perfeitos e íntegros, sem falta ou deficiência alguma" 
(Tiago 1, 2-4) 
E ainda diz:


"Feliz aquele que suporta provação porque, uma vez provado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que O amam!"
(Tiago 1, 12)

Sendo assim, queridos irmãos e irmãs na fé, CORAGEM! Confiem na Providência em todas as situações de suas vidas, Ela jamais falta e o Pai, sempre providencia tudo certinho e organizadinho, faz sempre o melhor!
Deus nos abençoe a todos!
A paz!