sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Sinal de Mãe!



Queridos amigos, a paz!
Contei para vocês sobre a minha visita ao Santuário de Schoenstatt e quanto Deus falou em meu coração nesta visita.
E, lógico, que a manifestação de Deus para mim, na visita ao Santuário em Poços de Caldas, através do amor da Mãe de Deus, não ficou só em meu coração.
O amor e a manifestação de Deus não se prende em um só coração,  "explode" e "contamina" os que nos cercam.
Depois de passar parte da manhã no Santuário, retornamos ao hotel e eu disse para meu marido que precisaríamos sair mais cedo do que havíamos planejado do hotel, porque eu queria voltar ao Santuário. 
E expliquei em seguida, antes de ouvir um "não" que tinha sentido muito forte em meu coração uma vontade de levar para minhas amigas que estão enfrentando problema de saúde um pouco da água do santuário, principalmente uma delas que ainda está em tratamento.
Diante desta justificativa, meu marido não questionou e apressou nossa saída do hotel, antes do horário previsto, para realizar meu pedido.
Chegamos ao Santuário pouco antes da missa dominical que acontece lá, as 15.30hrs e a movimentação era bem grande. Corri e me dirigi a lojinha enquanto meu marido me aguardava no carro com a recomendação de não demorar.
Ao chegar na lojinha uma surpresa: a mesma estava fechada. 
"Não meu anjo, me ajude agora, não posso voltar para Ribeirão Preto sem estas garrafinhas..."
Enquanto eu estava parada em frente a loja, tocando a campainha, formou-se uma pequena fila atrás e mim, todos com vontade de ir na lojinha e ninguém com coragem de procurar quem nos atendesse.
"Ai meu anjo, vamos, me ajude, meu marido está me aguardando no carro..."
Resolvi ir a Igreja e perguntei para a irmã que estava acertando o som:
"Irmã, cade aquela voluntária que estava pela manhã na loja, estou de saída para minha cidade, meu marido está esperando no carro e preciso muito levar para algumas amigas a água do Santuário, elas estão doentes e em tratamento..."
A irmã me informou que a loja somente seria aberta após a celebração da Santa Missa, para o povo não perder a celebração. Mas, vendo o meu desespero estampado no rosto, me apontou a voluntária que , no altar, estava correndo para lá e para cá na arrumação para a Santa Missa.
Fui ao pé do altar e chamei-a pelo nome, ela me conheceu e veio falar comigo, então eu expliquei:
"Irmã, sei que a loja só abre depois da missa, mas acontece que estou de saída para minha cidade, meu marido está no carro, e eu preciso, preciso mesmo irmã, levar para amigas minhas a água do santuário, você pode abrir a loja só para comprar as garrafinhas?"
No meu coração eu pensava:"Meu anjo, fala com o anjo dela, pede para ele convencê-la a abrir a loja...."
Ela pensou, olhou para mim, chamou uma senhora do lado dela, cochichou algo no ouvido dela e me disse: "Vamos depressa irmã, vou abrir para você!"
E assim, eu consegui trazer as garrafinhas...

Chegando aqui, no meu grupo de oração pude dar para minhas amigas, que ficaram muito felizes.
Uma delas, passadas algumas semanas, partilhou algo muito lindo sobre a água do Santuário.
Quando recebeu de mim a garrafinha de água, benzeu-se com a mesma e decidiu que tomaria somente quando fosse voltar ao tratamento. Guardou-a na geladeira.
No dia em que ela retornou ao tratamento de quimioterapia, antes da primeira sessão, disse ela, que enquanto o marido se dirigia para o carro para irem  ao hospital, ela foi a geladeira e tomou um pouquinho da água.
Como já é sabido por todos, um dos efeitos colaterais da quimioterapia é enjoo estomacal, então ninguém que vai se submeter ao tratamento, passa perfume algum, até mesmo em respeito a todos os demais que estão fazendo. Mas aconteceu algo muito especial... a enfermeira que fica na recepção, depois que minha amiga passou por ela, foi atras da mesma dizendo... "Nossa, depois que a senhora entrou aqui, o seu perfume tomou conta do lugar... um cheiro delicioso de rosas..."
Ao que ela respondeu: "Obrigada, mas não passei nenhum perfume..." E ficou até sismada se por acaso, num descuido, tinha passado...
Depois, ao sentar para fazer a quimioterapia, percebeu que o remédio desta vez, vinha em porção bem menor, disse ela para mim: "Stelinha, metade do saquinho, acredita?" 
Depois outro fato.. uma das enfermeira que trabalham no local e tem a função de colocar o cateter na veia, sempre foi muito seca porque trabalhou muito tempo em emergência, não é a enfermeira mais amável e doce, mas desta vez ela estava diferente... olhou para a minha amiga e disse: "Hoje a senhora está diferente, mais bonita, seu olhar brilhante, parabéns..."
Minha amiga ficou pensando, "o que está acontecendo"?
Quando chegou em casa, outra surpresa: NENHUM EFEITO COLATERAL! Nem dor no corpo, nem enjoo, nada, nada, nada...
Ao tomar banho, começou a pensar em todo o seu dia, aí lembrou, que antes de ir para o hospital, tomou a água e constatou: "Foi Nossa Senhora, foi Ela, a água do Santuário, muito obrigada..."
E, quando ela me contou, pude partilhar toda dificuldade que eu tive para pegar a água e todos os fatos que já narrei aqui...
Sempre a nossa Mãe, sempre agindo, passando na frente, cuidando, ajudando, consolando, os filhos que n'Ela esperam..
Eu só tenho uma coisa a fazer: "Obrigada, Mãezinha, muito obrigada...eu te amo, eu preciso muito de ti, muito obrigada!"
Espero que este testemunho, meus irmãos, sejam para vocês motivo de ânimo de sua fé e os impulsionem, cada vez mais, a buscar a proteção e a ajuda da Mãe de Deus!
Vamos rezar?
"A Vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezei as nossa súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, Ó Virgem, Gloriosa e Bendita!
Amém!"