sábado, 20 de outubro de 2012

OCUPAÇÃO PREDILETA DE DEUS - PE JOSÉ KENTENICH

Olá amigo de Deus, bem vindo!
Antes de começar a ler, olhe esta foto do Senhor e deixe Seu Olhar alcançar seu coração hoje... 
Muitas verdades estou degustando através de um livro escrito pelo Pe Kentenich, "Abrigado em Deus Pai".
Vou aqui reproduzir um capítulo que me encantou, me elevou, me fez crescer... "Ocupação Predileta de Deus" , verdade muitas vezes doida, não é fácil reconhecer que o sofrimento é permitido pelo Pai para o seu próprio bem.
Entender a predileção de Deus significa que TUDO o que acontece comigo, seja dor, seja amor, seja alegria, seja sofrimento, está no Plano amoroso do Pai e, portanto, é o melhor que poderia acontecer na minha vida. Não é fácil mesmo não aceitar esta verdade, porém ela liberta e tira de nós toda "dó de si mesmo", toda auto-piedade, para nos fazer compreender que o sofrimento é necessário em nossa vida e até nos arriscar a dizer: Pobres daqueles que não sofrem e não sofreram...
Vou transcrever o capítulo aqui, pois assim sei que também esta verdade ficará gravada em minha mente e coração.
Lembra do capital de graças da Mãe de Deus? Antes de começar a ler, ofereça a Ela suas dores...
PAZ

"OCUPAÇÃO PREDILETA DE DEUS"


Devemos ter a mais viva convicção de que deus traçou um plano, não só um plano para o mundo, mas também um plano para minha vida pessoal. Quem concebeu este plano? Não só a sabedoria e a onipotência de Deus, mas também o amor de Deus. Por isso é um plano de sabedoria, de onipotência e principalmente um plano de amor: Isto é verdade. E o que isso significa? Se nos pudermos nos colocar vitalmente neste terreno com ambos os pés , com todo o nosso ser, estaremos sempre em segurança - mesmo que num ou outro caso não saibamos como agir. Mas se de antemão considerarmos: é um plano de amor, estaremos salvos. Então eu sei: neste plano há também o sofrimento. Ser filho da Providência significa: ter a certeza de que qualquer acontecimento, alegria, dor, desilusão é um elemento essencial doplano de sabedoria, onipotência e amor de Deus. O filho de Providência, em todas as situações se sente como o filho predileto de Deus. Não pensar que Deus esteja dormindo. Antes, é como se Deus e eu estivéssemos sozinhos no mundo tal o cuidado com que Ele toma em suas mãos os fios de minha existência. Eu, a ocupação predileta de Deus e Deus minha ocupação predileta pessoal! É isso o que significa na prática ser a ocupação predileta de Deus. Por isso o filho da Providência vive do espírito da Família, pois o espírito de Schoenstatt é o espírito da Providência. Podem, por isso, acrescentar uma outra expressão: faz parte de nossa estrutura, de nossa espiritualidade a filialidade singela. Por isso, não foi em vão que falamos de uma genialidade da ingenuidade. Ingenuidade não é primitivismo. Ingenuidade é filialidade, espírito da filialidade, espírito da providência.
Há alguns anos falamos exaustivamente sobre este assunto e caracterizamos este modo de pensar com algumas imagens. Sim, há coisas sobre as quais nunca é demais ouvir...
Um exemplo do tempo do após guerra - eu o guardei porque é muito impressionante. Depois da guerra por toda a parte havia carência de moradias. Em algum lugar no Norte, perto de Colônia,morava um jovem comerciante. Era casado e Deus também lhe concedera um filho. Mas a família vivia apertada num quarto. O comerciante tinha muita escrita a fazer. Podem imaginar o que acontecia: a mulher cozinhava, a criança gritava e o homem trabalhava. Resultado: o homem ficava irritado. a pobre mulher sofria com isso, mas como era sábia, lhe disse: deves consultar um psiquiatra. O homem se ôpos, mas finalmente resolveu aceitar o conselho. Porem a mulher não podia saber. Voltou para o quarto. O pequeno continuou a berrar, a mulher a cozinhar, mas o pai estava mudado, não se irritava mais. Então a mulher tomou coragem e perguntou-lhe:"Então, o que o médico lhe disse?" E ele respondeu: "Vamos nos alegrar e deixar que o pequeno grite, assim teremos depois um descendente sadio!" Ai se oculta muita sabedoria de vida. Façam-no do ponto de vista religioso: tornar objeto de nossa alegria tudo o que é difícil para nós. Com isso consegue-se superar a dificuldades. O que queremos? O que Deus quer. Mas isto não atinge o mais profundo do ser. Devo dizer a mim mesmo: "O que Deus quer é justamente isso que eu queria". Por exemplo: "Minha irmã, é histérica: é justamente isto que eu queria". Podem imaginar, com uma irmã assim não dá para brincar. Imaginem então se começarem lamentar!não: "É justamente isso que eu queria". Ou:" Antes eu tinha uma casa tão acolhedora , e agora...! E justamente isso que eu queria!" - Devem aceitar toda a cruz e sofrimento que os tortura interiormente. Sabem, sem sofrimento não podemos avançar. Quando ficamos mais velhos percebemos que ficamos mais isolados. Antes não se fazia nada sem nós e agora...! "É justamente isto que eu queria!"
Percebem quanta sabedoria de vida há em tudo isso? É a sabedoria de vida do filho da Providência. Isso deve penetrar até a carne e o sangue. O domínio da vida se manifesta no fato de dominarmos a alegria e o sofrimento... Uma outra imagem que me ocupou durante o tempo da prisão - uma imagem muito singela: uma mulher espera um filho. Essa mãe não vai preparar as melhores fraldas para seu filho? Esta imagem sempre me voltava à mente quando eu, depois de estar com excesso de trabalho, de repente fui colocado num calabouço. Agora tudo acabou. Humanamente falando, seria de sucumbir. O pensamento: "Sã as melhores fraldas que Deus preparou para ti" fizeram-nos superar tudo. Podem imaginar como esta imagem pode influir em nossa vida? É filho da Providência aquele que constata: és a ocupação predileta de Deus! Também em Dachau eu sempre mantinha a convicção interior: (estas) são as melhores fraldas! É a velha lei: quando um sarrafo está muito inclinado para esquerda eu quero endireitá-lo, devo dobrá-lo fortemente par a direita. Tenham particularmente diante de si, como meta, o que é difícil, tornando-o objeto da alegria- não só esteticamente mas sempre em relação com Deus.
Pe. José Kentenich - Schoenstatt 1950
Encontro da União Apostólica Feminina " 

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Percebendo os sinais de Deus!

Amados de Deus, bom dia!
Viva Santa Terezinha, minha fiel amiga e companheira!
Viva santo Anjo da Guarda, nosso fiel amigo e companheiro!
Hoje quero postar uma experiência maravilhosa que vivi, no dia do meu aniversário, em visita ao Santuário da Mãe Rainha, em Poços de Caldas.
Esta Igrejinha aqui ao lado. 
Cheguei lá e já encontrei um grupo de oração de crianças, fiquei admirada. Tantas crianças cantando : "Está no céu, está no maaar..."
Subimos uma pequena ladeira até chegar na Igreja.
Encontramos uma família, sentados, rezando juntos.
Ajoelhei e ofereci minha vida para Mãe de Deus, renovando a minha consagração, o "Totus Tu Maria"!
Comecei a rezar o terço, chegou outra família. Terminei o terço e comecei o Ofício de Nossa Senhora, chegou outra família.
Uma benção. Silencio. Oração. Entrega confiante dos corações a Mãe de Deus.
Terminei minha oração e saímos da Igreja, eu e meu marido, para tirar fotos do jardim de Nossa Senhora!
 Olha só que coisa linda! E quando estávamos ali, super felizes tirando as fotos, chegou um carro, um fiat azul marinho, igualzinho um que eu tive, com uma irmã, vestida de hábito. 
Ela desceu do carro e eu perguntei sobre a lojinha se estava aberta, porque queria comprar alguma coisa para ajudar o Santuário.
Então percebi, quando a irmã desceu do carro, que Ela segurava, apertado no coração, um pequenino ostensório.      Então eu perguntei: "Irmã, a Senhora está com Jesus?"            
 Ao que ela prontamente respondeu: "Sim, filha, Ele veio até aqui para abençoar vocês!"
E eu perguntei?
"Nos abençoar?"
"Sim, filha, abençoar vocês, Ele já está abençoando!"
Imediatamente uma emoção muito forte tomou conta do meu coração, porque percebi um grande sinal de Deus, uma resposta mesmo d'Ele ao amor que eu, lá na Igrejinha, minutos atrás, tinha declarado... É como se Nosso Senhor dissesse para mim: "Não só aceito o seu amor, minha filha, como estou aqui para te abençoar e para dizer que estou sempre ao seu lado!" Era meu aniversário!
Comecei a chorar de emoção e de alegria.
Disse para meu marido com a voz embargada pelo choro, que estava realmente muito tocada, pelo carinho do Nosso Senhor em vir nos receber... e o sinal que percebi desta "predileção" é o carro da irmã, igual ao que eu tinha. 
Mas isto é assunto para outro post, digo sobre a coincidência do carro.
Vocês não imaginam o que se sente quando se entra nesta Igrejinha...vontade de ficar ali, horas e horas, esquecendo de tudo, só desfrutando da paz e da presença forte da Mãe de Deus e de Jesus.
Depois de falar com a irmã, corri para Igreja e me ajoelhei para agradecer a Jesus, por esta benção que Ele concedeu a mim e ao meu marido e as outras famílias que estavam lá. Esta "predileção" de vir a nós.
Sai da Igreja e quis conversar um pouco com a irmã, quando ela me falou:
"Minha filha, quando se visita um Santuário é preciso se entender o que significa o Santuário de Nossa Senhora. O Santuário da Mãe de Deus precisa do nosso capital. Quando agente fala "capital" logo se pensa em dinheiro. A Mãe de Deus não precisa do nosso dinheiro, filha. Ela precisa sim de nossas ofertas, dos nossos bens espirituais. As pessoas vem aqui só para pedir uma graça, mas não é assim. Elas precisam oferecer seus bens, sua ação de graça, seu trabalho, um martírio que esteja vivendo. Sem a nossa ajuda, a Mãe de Deus nada pode fazer. Mas, se você vem aqui, oferta para Ela, por exemplo, um sofrimento sobre uma situação de sua vida, a Mãe de Deus vai usá-lo para ajudar outra pessoa, que vem aqui pedir uma graça e assim sucessivamente.
É assim que funciona o Capital de Graças de um Santuário. Se hoje, minha filha, você sair daqui com uma graça, tenha certeza que ela é fruto do oferecimento de alguém que esteve aqui e generosamente, ofereceu para Mãe de Deus o seu capital."
Enquanto ela ia falando, meu coração se enchia de um amor tão grande, sinceramente, meus irmãos, parecia que eu estava ali conversando com Santa Terezinha, com Irmã Faustina, com Santa Rita...enfim, uma santidade e sabedoria que atingiu de cheio o meu coração.
Então eu falei: "Irmã, se eu morasse aqui eu seria voluntaria para ajudá-la!"
E daí Ela completou:
"Minha filha, quando se oferece o coração para Mãe de Deus, Ela aceita e começa a trabalhar neste coração. Vai fazendo uma limpeza, mostrando tudo aquilo que tem sido obstáculo para sua santidade. Vai te dando conhecimento sobre suas misérias, vai te ajudando a ser melhor. Mas agente precisa colaborar, não faltando a Santa Missa, não faltando ao Sacramento da Reconciliação, quando o discernimento vier em seu coração. Porque, se você oferece seu coração e não dá seguimento no que a Mãe de Deus te aconselha, Ela fica de mãos atadas e nada pode fazer por você."
A minha vontade era de "grudar" nesta irmãzinha e ver se por osmose eu conseguiria um pouco desta santidade.
E depois, gentilmente, pediu licença pois tinha outros afazeres e se despediu. E ainda, me disse: "Volte sempre aqui, minha filha, convide as pessoas. No sábado sempre temos almoço para os peregrinos!"
Fiquei observando a irmã ir e estasiada por tanta graça para ser absorvida pelas palavras ditas por ela. 
Ao nosso lado estava um casal. O senhor trabalha todos os sábados, como voluntário na cozinha, preparando o almoço para os pobres e peregrinos.
A mulher dele, atualmente está afastada, mas nos contou que ela trabalhava, junto com as irmãs, na limpeza e cuidado do jardim. Muitas vezes passou a tarde inteira tirando tiririca da grama junto com elas. E quando trabalhavam, em silêncio, uma das irmãs sempre fazia a catequese, ensinando, explicando, partilhando as riquezas e tesouros espirituais, indicando o caminho para o céu.


"Buscai primeiro o Reino de Deus e tudo o mais vos será dado por acréscimo!"
(Mat. 6, 33)

"Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada!"
(Lucas 10,42)

Queridos irmãos, estas duas ordens de Jesus devem ser acolhidas por nós. Eu garanto a vocês, a promessa d'Ele se cumpre na sua totalidade. 
Desejei ardentemente ir ao Santuário no dia do meu aniversário, mas do que qualquer coisa, e Jesus mesmo veio me recepcionar e, ainda, por acréscimo, me concedeu a graça de ficar alguns minutinhos ao lado da irmã e aprender tanto com ela, principalmente para meu marido, que tem muita dificuldade na perseverança, e a mulher que acompanhava seu marido e que tinha deixado o trabalho voluntário sem nenhuma razão e ainda mais para mim, que desejo tanto fazer parte do capital de Nossa Senhora.
Aliás, esta verdade Nosso Senhor já havia colocado em meu coração, de maneira um pouco diferente, porém no mesmo sentido, e que eu partilhei aqui, em um post publicado no dia 23 de dezembro de 2010, "Aprendendo com a uva", vale a pena ler.
Desejo, sinceramente, querido irmão, que a graça de Deus tenha atingido o seu coração tão fortemente como atingiu o meu, a ponto de te motivar a correr para o Sacrário, ou um Santuário, e oferecer seus bens para Mãe de Deus, participando assim do seu "capital de graças"!
Acredite, você vai mudar,  sua vida vai mudar a partir desta decisão.
PAZ