segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

O homem julga pelas aparências, mas Deus vê o coração.

Amado de Deus, que a paz de Jesus e o amor de Maria, nossa mãe, inundem todo o seu ser agora.
Que bom estarmos unidos através deste blog, onde juntos podemos meditar sobre as maravilhas de Deus.
Fico feliz em poder conectar seu pequeno coração ao Sacratíssimo Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria. Esta é a minha intenção, que você seja feliz por ter seu coraçãozinho em boas, benditas, misericordiosas, acolhedoras, poderosas e adoráveis Mãos. Então, está feliz?
Fique tranqüilo, está à procura da verdade em Jesus, está no caminho certo. Logo, logo tudo vai estar claro para você, amado de Deus.
Quero hoje partilhar com você o que Nosso Senhor me fez reviver na missa ontem, durante a Santa Comunhão.
Nosso Senhor fez vir a minha mente uma grande verdade, cuja essência está no Evangelho de ontem.
Assim nos ensina Jesus no evangelho de ontem, 8º domingo do tempo comum:
Mateus 6,24-34
Naquele tempo disse Jesus a seus discípulos: “Ninguém pode servir a dois senhores, pois ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro. Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que haveis de comer ou de beber; nem com o vosso corpo, com o que haveis de vestir. Afinal, a vida não vale mais que o alimento e o corpo mais que a roupa? Olhai os pássaros do céu: eles não semeiam, não colhem nem ajuntam em armazéns.
No entanto o vosso Pai que estás nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros? Quem de vós pode prolongar a duração da própria vida só pelo fato de se preocupar com isso?  E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. Porém, eu vos digo, nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu com um deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará Ele muito mais por vós, gente de pouca fé? Portanto, não vos preocupeis, dizendo: o que vamos comer? O que vamos beber? Como nos vestir? Os pagãos é que procuram essas coisas, Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso. Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas em acréscimo. Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia bastam seus próprios problemas.”
Mas o fato que quero partilhar com você, amado de Deus, aconteceu em uma missa de um mês de falecimento da sogra da minha irmã.
A missa aconteceu em um domingo em outra Paróquia, na Paróquia São José, que fica no centro da cidade.
A missa iniciou-se as 10:00hrs, e estava praticamente cheia, por ser domingo.
Procuramos um banco para sentar, mas filhos sentaram-se bem atrás, pois o banco estava cheio.
Depois que já tinha começado a missa entrou uma mendiga mal cheirosa e sentou-se bem ao meu lado.
O cheiro era insuportável e logo o meu filho mais velho mudou de lugar.
Meu marido olhou para mim, como que perguntando se eu queria mudar, mas eu fiz sinal que não.
E, confesso, estava difícil demais.
No abraço da paz, o meu filho caçula deu a mão para mulher e eu e meu marido o imitamos.
Meu filho mais velho, de longe se divertia com toda a nossa dificuldade.
No momento da comunhão, levantamos, mas a mulher permaneceu sentada, não foi receber a Eucaristia.
Quando retornei e ajoelhei-me para fazer adoração, ouvi em meu coração à voz do Nosso Senhor que assim falou:
Minha filha se pudesse sentir o cheio das almas aqui presentes, certamente a desta mulher seria a mais cheirosa.
Se pudesse sentir o perfume da alma desta mulher, jamais reclamaria de seu odor humano.
Tantas mulheres e homens aqui tão perfumados, mas suas almas são mal cheirosas, muito mais insuportável para eu senti-las do que para você agora sentir o desta mulher. O que seus olhos vêem nem sempre é a realidade que Eu vejo. Cuidado com o julgamento, minha filha.
Veja esta pobre mulher, mesmo na sua mendicância, não deixa de vir um só dia a minha casa, falar comigo. A aparente desvantagem desta mulher, na verdade, se torna uma vantagem, pois diante da sua miséria ela só tem a Mim.
Quantos filhos meus estão presos em seus palácios externos, tão perfumados e ricos e não se atrevem a me buscar, outros até vêm aqui, mas no seu palácio interior estão mais que presos, são senhores de si, não tem lugar para mim em seus corações.
Quero ser o Senhor de seus palácios, mas eles não querem, sua própria vontade é o seu senhor. A sua aparente vantagem , na verdade, é uma desvantagem vez que cheios deste mundo não sentem necessidade da minha presença em suas vidas, são miseráveis, minha filha, estão a caminho da própria perdição.”
Permaneci em silêncio e de joelhos, degustando a voz do meu Senhor que ressoava em todo o meu ser e oferecendo o meu coração para Jesus, e adorei este Deus que tão humildemente e ardentemente quer estar conosco sempre. E ofereci-o mil vezes em desagravo por aqueles que não O amam, não O adoram, não O crêem, não O esperam.
Quando percebi a mulher levantou-se e foi embora.
Então agradeci muito a Jesus pela oportunidade de aprender com aquela pobre mulher mendiga realmente pobre neste mundo, mas tão rica para Deus e quanto aprendi com ela.
E realmente, amado de Deus, não se pode servir a dois Senhores ou se serve a Deus ou ao dinheiro.
E você, quem é o Senhor de sua vida?
Será que tem cuidado de sua alma com o mesmo cuidado com que cuida do seu corpo, da sua casa, dos seus bens materiais?
Será que o brilho de todo o exterior de sua vida é o tão luminoso como o brilho de sua alma?
Pense nisto!
PAZ!

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Explicação sobre Sacramento do Crisma

Amado de Deus, que bom estar com voce hoje!
Como fiz, no post passado, o convite para que receba o Sacramento do Crisma os leitores que ainda não o receberam, resolvi postar um informativo sobre a importância de se receber este sacramento que confirma as graças e missões recebidas pelo cristão no Batismo.
Espero que aproveite e que este informativo seja para voce uma motivação maior para que busque o Sacramento.

PAZ!

O que nos diz o Catecismo da Igreja Católica:

Juntamente com o Batismo e a Eucaristia, o sacramento da Confirmação constitui o conjunto dos sacramentos da iniciação crista cuja unidade deve ser salvaguardada. A  recepção deste sacramento é necessária à consumação da graça batismal: "pelo sacramento da Confirmação [os fiéis] são vinculados mais perfeitamente à Igreja, enriquecidos de força especial do Espírito Santo, e assim mais estritamente obrigados à fé que, como verdadeiras testemunhas de Cristo, devem difundir e defender tanto por palavras como por obras".
Por várias vezes Cristo prometeu a efusão do Espírito, promessa que realizou primeiramente no dia da Páscoa e em seguida, de maneira mais marcante, no dia de Pentecostes. Repletos do Espírito Santo, os Apóstolos começam a proclamar "as maravilhas de Deus" (At 2,11) e Pedro começa a declarar que esta efusão do Espírito é o sinal dos tempos messiânicos. Os que então creram na pregação apostólica e que se fizeram batizar também receberam o dom do Espírito Santo. Desde então, os apóstolos, para cumprir a vontade de Cristo, comunicaram aos neófitos, pela imposição das mãos, o dom do Espírito que leva a graça do Batismo à sua consumação. E por isso que na Epístola aos Hebreus ocupa um lugar, entre os elementos da primeira instrução cristã, a doutrina sobre os batismos e também sobre a imposição das mãos. A imposição das mãos é com razão reconhecida pela tradição católica como a origem do sacramento da Confirmação que perpétua, de certo modo, na Igreja, a graça de Pentecostes.
Bem cedo, para melhor significar o dom do Espírito Santo, acrescentou-se à imposição das mãos uma unção com óleo perfumado (crisma). Esta unção ilustra o nome de "cristão", que significa "ungido" e que deriva a sua origem do próprio nome de Cristo, ele que "Deus ungiu com o Espírito Santo" (At 10,38).
No rito deste sacramento convém considerar o sinal da unção e aquilo que a unção designa e imprime: o selo espiritual.  A unção com o santo crisma depois do Batismo, na Confirmação e na Ordenação, é o sinal de uma consagração. Pela Confirmação, os cristãos, isto é, os que são ungidos, participam mais intensamente da missão de Jesus e da plenitude do Espírito Santo, de que Jesus é cumulado, a fim de que toda a vida deles exale "o bom odor de Cristo.
Por esta unção, o confirmando recebe "a marca", o selo do Espírito Santo. Cristo mesmo se declara marcado com o selo de seu Pai. Também o cristão está marcado por um selo: "Aquele que nos fortalece convosco em Cristo e nos dá a unção é Deus, o qual nos marcou com um selo e colocou em nossos corações o penhor do Espírito" (2Cor 1,21-22; Cf Ef 1,13; 4,30). Este selo do Espírito Santo marca a pertença total a Cristo, o colocar-se a seu serviço, para sempre, mas também a promessa da proteção divina na grande provação escatológica (fim dos tempos).

OS EFEITOS DO CRISMA:

·        enraíza-nos mais profundamente na filiação divina, que nos faz dizer "Abbá, Pai" (Rm 8,15),
·        une-nos mais solidamente a Cristo;
·        aumenta em nós os dons do Espírito Santo;
·        torna mais perfeita nossa vinculação com a Igreja;
·        dá-nos uma força especial do Espírito Santo para difundir e defender a fé pela palavra e pela ação, como verdadeiras testemunhas de Cristo, para confessar com valentia o nome de Cristo e para nunca sentir vergonha em relação à cruz:

QUEM PODE RECEBER ESTE SACRAMENTO?
Todo batizado ainda não confirmado pode e deve receber o sacramento da Confirmação. Pelo fato de o Batismo, a Confirmação e a Eucaristia formarem uma unidade, segue-se que "os fiéis têm a obrigação de receber tempestivamente esse sacramento", pois sem a Confirmação e a Eucaristia, o sacramento do Batismo é sem dúvida válido e eficaz, mas a iniciação cristã permanece inacabada.
A preparação para a Confirmação deve visar conduzir o cristão a uma união mais íntima com Cristo, a uma familiaridade mais intensa com o Espírito Santo, sua ação, seus dons e seus chamados, a fim de poder assumir melhor as responsabilidades apostólicas da vida cristã. 
Para receber a Confirmação é preciso estar em estado de graça. Convém recorrer ao sacramento da Penitência para ser o purificado em vista do dom do Espírito Santo.
Para a Confirmação, como para o Batismo, devem os candidatos procurarem a ajuda espiritual de um padrinho ou de uma madrinha. Melhor seria se fosse o mesmo do Batismo, a fim de marcar bem a unidade dos dois sacramentos, porém se isto não for possível, é necessário apenas que o padrinho ou madrinha seja crismado e que seja um católico praticante.

PAZ!

Inicio Catequese!


Amado de Deus...bem vindo novamente!!!
Você é muito esperado, viu!!!
Hoje especialmente quero louvar e agradecer a Deus pelo ano de catequese que inicia-se nesta segunda feira...louvo e agradeço por todos jovens que Nosso Senhor, no seus designos, colocou diante de mim este ano, para que juntos possamos nos aprofundar no conhecimento de Jesus, da Palavra, do seu Reino...
Preparo jovens para crisma que acontecerá no final do ano, que Deus me ajude e me capacite para poder ser, realmente, uma semente fértil no meio destes meninos tão cheio de duvidas, tão contaminados pelos pensamentos deste mundo...
Não é fácil falar para estes meninos sobre castidade, sobriedade, fidelidade, pureza, entre outras coisas mais...mas aqui estou eu novamente Jesus, me oferecendo como um pincel para que o Senhor possa estampar no corações destes 20 jovens a sua Face Sagrada e Bendita...que eles possam, mesmo, fazer a diferença neste mundo tão distorcido de valores, deste mundo tão sem norte.
Conto com a ajuda da Mãe do Céu a minha maior catequista, de todos os Santos e do meu anjo da guarda...que sejam todos para mim, como um fio condutor que me conduza a unção do Espirito Santo afim de que possa ser LUZ, inclusive para seus pais...
Aproveito a oportunidade para te perguntar, amado de Deus, qual a sua função dentro da Igreja? Como tem desempenhado a missão de propagar o Evangelho que te foi conferida com o seu Batismo e depois no Crisma?
Não quer ser um catequista?
Procure sua Paróquia, pense nisto...Jesus precisa muito de instrumentos para a construção do Reino, Ele precisa muito de você, do seu testemunho...
Não podemos chegar no céu e dizer para Jesus que nunca fizemos nada para salvar almas, não é mesmo?
Dê um passo, vá até sua Paróquia e veja com pode participar e ajudar na construção da Grande Arca da Salvação...é um convite, ok?
Ah, aproveito para dizer que se ainda não recebeu o Sacramento da Crisma, amado de Deus, que vá atrás urgente, ele é importantíssimo para que possa exercer a missão e receber as graças do Batismo...
Pense nisto...
PAZ!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Amigos aos olhos de Deus!




Amado de Deus, seja bem vindo!
Que bom que estamos juntos!
A liturgia de hoje fala sobre a amizade aos olhos de Deus...sim, amado de Deus, a Palavra nos aconselha como escolher nossas amizades e como ser o verdadeiro amigo...dispensa maiores comentários, basta que leia, reflita e deixe cair no seu coração a semente...faça suas escolhas, tome suas decisões.
Seus amigos são os que te levam para pertinho de Jesus e que te ajudam de certa forma ser melhor, ser mais santa.  Por outro lado, seus inimigos são aqueles que NÃO colaboram com a sua santificação, ou melhor que te ajudam a se afastar de Deus e do Seu maravilhoso plano de amor.
De fato, como é bom saber selecionar nossas amizades...Deus mesmo é quem nos ensina a selecionar, para o nosso próprio bem e santificação...
Aproveite, ainda, a oportunidade para louvar a Deus pelo dom da vida dos seus verdadeiros amigos em Cristo, estes sim, podem fazer a diferença em sua vida! São verdadeiros anjos que Deus coloca em seu caminho para te ajudar a carregar a cruz...Pare agora um minutinho, pense em seus nomes, reze uma Ave-Maria para cada um, em louvor a Deus pela dom da sua amizade...
Lembre que não faltou a Jesus amigos e nem tampouco a Maria...aos pés da cruz de Jesus estava Ela lá, amparada por João e suas amigas...
Lembra do paralítico e de tantos outros que contaram com os amigos para ir até Jesus?
Vê-se, então, a grande importância que um amigo fiel tem na nossa vida...
Cultive o seu, reze por ele...
E agora, para completar a nossa meditação, vamos ler juntos a Palavra?


Eclesiastico 6, 5-17:
"Uma boa Palavra multiplica os amigos e apazigua os inimigos;
a linguagem elegante do homem virtuoso é uma opulência.
Dá-te bem com muitos, mas escolhe para conselheiro um entre mil.
Se adquires um amigo, adquire-o na provação, não confies nele tão depressa. Pois há amigos em certas horas que deixará de o ser no dia da aflição.
Há amigo que se torna inimigo, e há amigo que desvendará ódios, querelas e disputas;
Há amigos que só o é para a mesa e que deixará de ser no dia da desgraça.
 Se teu amigo for constante ele te será como um igual, e agirá livremente com os de sua casa.
Se se rebaixa em tua presença e se retrai diante de ti, terás aí na união dos corações uma excelente amizade.
Separa-te daqueles que são teus inimigos e fica de sobreaviso diante de teus amigos.
Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou descobriu um tesouro.
Nada é comparável a um amigo fiel; o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade da sua fé.
Um amigo fiel é um remédio de vida e de imortalidade,
quem teme ao Senhor achará este amigo.
Quem teme ao Senhor terá também uma excelente amizade,
pois seu amigo lhe será semelhante."



PAZ!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Minhas atitudes devem ser a torneira onde a água viva deve exalar!




Amado de Deus, como prometi para você, vou postar mais um trecho do Diário da Irmã Faustina da minha meditação de hoje...
Como de costume, após meditar a liturgia de hoje em Mc 9,38-41, pedi ao Senhor para completar o que Ele falou em meu coração, através do diário da Irmã Faustina.
O versículo que me chamou a atenção foi:
"De fato, quem vos der a beber um copo d'água por serdes de Cristo, em verdade vos digo que não perderá a sua recompensa." (41)
Meu coração sentiu como Jesus, na sua infinita Majestade, quer se servir de nós, pobres pecadores, para matar a sede de tantos que andam errantes por aí...
Senti em meu coração quantas pessoas em minha volta necessitam desta água viva e me ofereci a Jesus como canal da graça, como se meu coração fosse o "cano" e meus atos a "torneira" onde esta água viva deve exalar...meu olhar, meu semblante, minhas palavras, meus gestos, tudo, tudo, deve exalar esta água viva, deve ser canal para Jesus amar o outro...
Pensei ainda, quantas vezes é difícil para mim, porque Jesus muito me pede que deixe meu orgulho, meu amor próprio, minha vaidade, meu comodismo, para ser o Seu canal...nem sempre é fácil...mas confesso que todo o esforço vale a pena, pois, a recompensa é imediata. A alegria que sinto depois de cumprida a missão de "abrir a torneira" da graça é indescritível...o versículo 41 do capitulo 9 do Evangelho de São Marcos é real...acredite, eu já experimentei esta graça!
Oh Jesus, manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao Vosso!
Como sou lerda para entender a grandeza do Amor de Deus...como ainda ponho a confiança em minhas próprias forças...quando Jesus tão humildemente me pede emprestado o  coração para amar o outro e a única coisa que preciso fazer é dizer SIM. E, ainda,não posso esquecer que quando empresto o meu coração, o amor passar por mim antes mesmo de atingir o outro...este é o grande mistério...
Então, Jesus ainda me falou assim, através do Diário da Irmã Faustina:


"1934. Em determinado momento, quando vim à cela e estava tão cansada que, primeiro, tive que descansar um momento antes de tirar a roupa, e, quando já estava despida, uma das irmãs pediu-me que lhe trouxesse água quente. Apesar do cansaço, vesti-me bem depressa e levei a água que ela desejava, embora da cozinha até a cela fosse um bom trecho, cheio de lama que me chegava até os tornozelos. Quando regressei á minha cela vi um cibório com o Santissimo Sacramento e ouvi esta voz: Pega o cibório e leva-O ao Sacrário. A princípio hesitei, mas depois me aproximei e, quando toquei o cibório, ouvi estas palavras: Com o mesmo amor com que te aproximas de Mim, aproxima-te de cada uma das irmãs, e tudo o que lhe fizeres, fá-lo-ás a Mim. Um momento depois vi que estava sozinha.
Em determinado momento, quando era feita uma adoração pela nossa Patria, a dor apertou-me a alma e comecei a rezar da seguinte maneira: "Jesus Misericordiosíssimo, peço-Vos pela intercessão deVossos Santos e especialmente pela intercessão de  Vossa Mãe diletíssima, que Vos educou na infância, suplico-Vos, abençoai a minha Pátria. Jesus, não olheis para os nossos pecados, mas olhai par as lágrimas das criancinhas, para a fome e o frio que sofrem. Jesus, por esses inocentes, concedei-me a graça que Vos peço ar a minha Pátria." Nesse momento vi o Nosso Senhor, que tinha os olhos rasos de lágrimas, enquanto me dizia: Estás vendo, Minha filha, quanta pena sinto delas; sabe que elas sustentam o mundo.
Meu Jesus, quando observo a vida das almas percebo que muitas Vos servem com desconfiança. E, em certos momentos, especialmente quando há possibilidade de demonstrar amor a Deus, vejo que justamente então essas almas fogem do campo de batalha. E, em determinado momento, Jesus me disse: Serás também tu, Minha filhinha, queres proceder dessa maneira?
Respondi ao Senhor: "Oh! Não Jesus, não abandonarei o campo de batalha; ainda que o suor mortal me cubra a fronte, nem deixarei cair a espada até descansar aos pés da Santissima Trindade. Em tudo o que faço, não conto com minhas próprias forças, mas com a graça de Deus. Com a graça de Deus a alma pode sair vencedora das maiores dificuldades." (sublinhei)


Observou, amado de Deus, a sintonia deste diálogo de Jesus com Irmã Fasutina e o versículo 41, do Cap 9 do Evangelho de São Marcos?
Vê como Jesus necessita de nós e como nos pede para ser um canal do Seu Amor?
E voce, amado de Deus, quer fazer a diferença na vida de alguém no dia de hoje e para sempre?
Este é o convite.
Qual a sua resposta?
Não se esqueça jamais: não está sozinho nesta...estamos juntos!
PAZ!

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Noé, um exemplo a seguir!!!




Deus seja louvado pelo dom de sua vida!
Deus seja louvado pelas lágrimas que já cairam dos seus olhos!
Deus seja louvado pela sua perseverança, pela sua luta, pela sua determinação!
Deus seja louvado porque não desistiu d'Ele e do seu Caminho!
Que bom que estamos juntos agora, um animando o outro, nesta Caminhada de fé e de coragem!
Precisamos mesmo de coragem (cor = coração  - age = verbo agir)...Jesus nunca nos enganou e não disse que seria fácil a nossa caminhada...
"Referi-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! eu venci o mundo!" (Jo 16,33)
Esta é a nossa força, Jesus já venceu o maligno, ele é um inimigo vencido...
Mas aprendi muito com Noé, com sua história, com sua fé...que homem corajoso!
Imagine só construir uma arca no deserto? Daquele tamanho? Teve que investir todas as suas economias e, ainda, trabalhou duro só para construi-la...
E voce também encontrou graça diante de Deus? Ele convidou a salvar-te e a tua familia?
Está enfrentando o desafio de Noé? Precisa investir tudo na construção da arca que salvará a tua familia? 
"Crê no Senhor Jesus e será salvo tu e tua familia" (Atos 16,31)
Fiquei pensando ainda, em minha vida, quantas lágrimas já derramei por causa desta minha decisão de seguir Jesus...daria para formar um dilúvio...sei que Deus as contou todas...
 "Vós conheceis o caminho do meu exilio, vós recolhestes minhas lágrimas em vosso odre; não está tudo escrito em vosso livro?" (salmo 55,9)
E agora, sua arca perdida em tantas lágrimas, parece não ter fim... quanto tempo Noé esperou com sua familia dentro daquela arca, mesmo depois de cessar as chuvas, Noé não via terra firme...
E voce, quantas vezes também como Noé não conseguiu vislumbrar terra firme? Em volto ao mar de suas lágrimas quantas vezes não viu nenhum sinalzinho de Deus? Quantas vezes já soltou a "pombinha" e quanto já esperou que ela voltasse com o galinho verde de esperança no seu bico, anunciando que ali é o lugar seguro que Deus preparou para sua arca...
ou mesmo quantas vezes já não sentiu-se a própria pombinha a alçar vôo em busca da terra firme e, quantas vezes já não voltou sem o galinho de árvore? Será que ainda está a procura deste sinal de esperança de conhecer e poder cumprir a vontade de Deus para sua vida?
"Digo-me então, tivesse eu asas como a pomba, voaria para um lugar de repouso; ir-me-ia bem longe morar no deserto, apressar-me-ia em buscar um abrigo contra o vendeval e a tempestade." (salmo 54, 7-9)
É para voce, amado de Deus, que hoje eu falo:
Não desanime, Noé não desanimou, acreditou, lutou, buscou e conseguiu a vitória...Deus fez uma promessa a Noé e Deus fez esta promessa para voce também:
"Vou fazer uma aliança convosco e com vossa posteridade. Faço esta aliança convosco: nenhuma criatura será mais destruída pelas águas do dilúvio e não haverá mais dilúvio para devastar a terra. Ponho o meu arco nas nuvens para que ele seja o sinal entre mim e a terra." (Gen 9- 8,11,13)
Aceita?
Quer fazer a experiência?
Estamos juntos nesta, amado de Deus...não está só na sua escolha, acredite!
Rezemos um pelo outro para que a força do Nosso Senhor nos levante e nos ponha a caminho da construção da Grande Arca que salvará toda a nossa familia! Amém?
PAZ!



terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O que preciso fazer para ganhar indulgência?


Amado de Deus, seja bem vindo, que a graça e o amor de Deus estejam inundando sua vida, seu coração, neste momento...Jesus te ama muito, Ele deixa tudo para te resgatar...
Quer fazer parte deste rebanho?
Renove, então, agora o seu compromisso de segui-Lo...em seu coração, por um minutinho, feche os olhos e renove a sua vocação...
Vou continuar postando sobre indulgências, para o nosso bem e de toda a Santa Igreja!
A indulgência pode ser simples ou plenária. A indulgência plenária apaga totalmente a pena temporal dos pecados já confessados e por isso a condição é o sacramento da Confissão, sem o qual não existe indulgência plenária.  Já a indulgência parcial, como o nome diz,  nos redime parcialmente dessa pena. 
Para se obter a indulgência simples é necessário ter a intenção de ganhar a indulgência e estar em estado de graça, isto é, livre de pecado mortal. Para alcançar a indulgência plenária é necessário: confissão, comunhão, ir a Igreja ou Capela pública e lá rezar 1 Pai-Nosso, 1 Ave-Maria e 1 Glória ao Pai pelas intenções do Santo Papa Bento XVI.
Hoje vou postar algumas jaculatórias que, quando pronunciadas com amor de devoção, nos alcançam indulgência parcial ou plenária após serem proclamadas por um mês, sem intervalo:


Jaculatórias:


1. Jesus, Maria e José - 07 anos cada vez e plenária após um mês.
2.Jesus, Maria e José, meu coração vos dou e minha alma também. idem.
3.Doce coração de Maria sede a minha salvação. 300 dias e plenária após um mês.
4.Senhor, aumentai a minha fé. 500 dias e plenária após um mês.
5.Ensina-me, Senhor, a fazer vossa vontade, pois sois meu Deus. 500 dias e plenária após um mês.
6.Ó Jesus, sede meu Senhor e meu Deus. 300 d e plenária após um mês.
7.Sagrado Coração de Jesus, tende piedade de nós. 500 d e plenária após um mês.
8.MARIA! Todas as vezes que pronunciar o nome dela com amor e devoção 300 d e plenária no final de um mês.
9.Deus Santo, Deus forte, Deus imortal, compadecei-Vos de nós! 500 d e plenária após um mês.
10.Senhor salvai-me, Senhor vinde em meu auxílio! Idem.
11.Meu Senhor e meu Deus. 7 anos e idem.
12.Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso! 500 d e idem.
13.Tu és Cristo, o Filho de Deus vivo. 300 d e idem




Viu como não é tão difícil assim buscar o céu? Basta deseja-Lo ardentemente, que estas jaculatórias saíram de nossos corações automaticamente...não esquecendo que são necessárias as condições acima expostas para que se alcance os benefícios da indulgência...
Sendo assim, irmãos, vamos proclamar com amor estas jacultórias e oferecê-las em sufrágios às penas das almas do purgatório? 


PAZ!





segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A importância das indulgências!


Amado de Deus, que bom que entrou neste blog...Jesus quer falar ao seu coração...ouça!
O céu deve ser o desejo maior do nosso coração, a meta de nossas atitudes, o norte de nossas escolhas. 
Neste domingo, a liturgia nos ensinou que "desde o princípio Deus criou o homem e o abandonou nas mãos de sua própria decisão" (Eclo, 15,14) e que "colocou diante do homem a vida e a morte e ser-lhe-á dado o que preferires"(Eclo,  15,17).
Sendo assim, se preferimos o céu, o céu nos será dado!!!
Eu te pergunto hoje, em sua vida o que tem plantado: céu ou inferno? vida ou morte?
Preferir o céu implica em cumprir o que o Senhor nos pede, é o que nos ensinou São Paulo na segunda leitura "Quanto a nós, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que vem de Deus, afim de que conheçamos os dons da graça de Deus." (1Cor 2,12).
Então, alegre-se, Deus não nos deixou só, contamos com a ajuda do Espírito Santo para fazer as escolhas acertadas, para escolher o céu!
E este mesmo Espírito Santo é quem inspirou a Igreja nas indulgências parciais e plenárias que nos ajudam tanto na busca do céu e, ainda, das quais podemos oferecer aos nossos familiares amigos que já faleceram afim de diminuir o seu purgatório.
Quando escolhemos a morte, isto é, o pecado, rompemos com Deus e com o céu. Entretanto, quando o arrependimento assola o nosso coração, podemos contar com a Misericórdia de Deus, infinitamente bom, que está sempre de braços abertos e estendidos esperando a reconciliação.
Vale dizer que Deus deseja que TODOS OS SEUS FILHOS ALCANCEM O CÉU!
"Não ordenou a ninguém ser ímpio e não deu a ninguém licença de pecar" (Elco 15,20)
Recorrendo a confissão e alcançando o perdão de Deus, relativamente a nossa atitude de morte, ou de pecado, nós eliminamos a nossa culpa, porém não a pena, que deverá ser cumprida no purgatório. Melhor dizendo, o pecado confessado me livra da culpa mas não da pena. Cada pecado, mais purgatório...e assim vai...
Mas como posso ficar livre da pena? É possível através desta vida terrena diminuir ou até eliminar o purgatório, já que é quase impossível, na minha humanidade,  não pecar?
Fique aliviado, amado de Deus, a resposta é SIM, através das indulgências da nossa Igreja, grande dádiva de Deus!
Chegando próxima a quarta feira de cinzas, que dá inicio a quaresma, tempo propício para se fazer indulgências, é que resolvi postar um artigo que li no site www.recadosaarao.com.br e que transcrevo agora para melhor esclarecer sobre a grande importância que tem as indulgências para nossa caminhada para o céu!
Espero que seja útil ao seu esclarecimento!


PAZ!




ESTIMA PELAS INDULGÊNCIAS 
(Padre Faber) 
 
            “(...) Há ainda um assunto que reclama a nossa atenção enquanto nos ocupamos da oração vocal. Um homem dado à oração vocal está em grande parte à mercê dos livros de orações. A escolha das devoções preferidas é, portanto, de grande importância, e que devoções podemos escolher com mais segurança do que as aprovadas pela Igreja e por ela indulgenciadas? 
 
            Há uma grande relação entre as indulgências e a vida espiritual; e o emprego das devoções indulgenciadas é, pois, a pedra de toque pela qual reconhecemos de modo quase infalível um bom católico.
 
            Segundo Santo Afonso, para tornar-se santo basta ganhar todas as indulgências possíveis, e São Leonardo de Porto-Maurício tem mais ou menos a mesma opinião. As revelações particulares e aprovadas dos Santos projetam uma luz importante sobre esta matéria. Santa Brígida foi suscitada em grande parte, como ela mesma diz, para propagar a glória das indulgências; e assim Santa Maria Madalena de Pazzi viu almas castigadas no Purgatório somente por havê-las menosprezado. 
 
            Há na vida espiritual o que chamarei as oito bem-aventuranças das indulgências. 
 
            Em primeiro lugar, por terem relação com o pecado, com a Justiça de Deus e com a pena temporal devida ao pecado, as indulgências conservam em nós certos pensamentos que pertencem à fase da purificação, o que para nós é salutar, embora desejemos com impaciência ir adiante e livrar-nos deles.
 
            Em segundo lugar, produzirão em nós a feliz disposição de nos afastar deste mundo: conduzem-nos a um mundo invisível; cercam-nos de imagens sobrenaturais; infundem em nosso espírito uma ordem de idéias que nos desapega das coisas mundanas e exprobra os prazeres terrestres. 
 
            Em terceiro lugar, guardam continuamente diante de nós a doutrina do Purgatório, e assim nos obrigam ao constante exercício da fé e ao mesmo tempo nos sugerem motivos de um santo temor. 
 
            Em quarto lugar, fazem-nos praticar para com os fiéis falecidos o exercício da caridade, que facilmente chegará ao heroísmo, estando assim ao alcance dos que não podem fazer outras esmolas, e produz deste modo em nossa alma os efeitos que acompanham as obras de misericórdia. 
 
            Em quinto lugar, a glória de Deus tem muito interesse nas indulgências, por uma dupla razão: porque libertam as almas do Purgatório, apressando a sua entrada na corte celestial, e porque patenteiam especialmente algumas das perfeições divinas, tais como Sua infinita pureza, Seu ódio ao pecado ainda mesmo ínfimo, e o rigor da Sua justiça, aliada à mais engenhosa misericórdia. 
 
            Em sexto lugar, elas prestam homenagem às satisfações que Jesus ofereceu por nós. São para estas satisfações o que para os Seus méritos é a doutrina de que todo pecado não é perdoado senão devido a Ele. Portanto podemos dizer que, aproveitando d’Ele e dos Seus méritos o mais possível, as indulgências realçam a copiosidade da Redenção. Honram também as satisfações da Virgem Maria e dos Santos, de modo a honrar mais ainda a Jesus. 
 
            Em sétimo lugar, elas nos dão uma idéia mais séria do pecado e aumentam o horror que lhe temos. Com efeito, as indulgências lembram-nos constantemente a verdade de que o castigo é devido mesmo ao pecado perdoado, que este castigo é terrível ainda mesmo que seja apenas por algum tempo, e que só é possível livrar-nos dele pelas satisfações de Jesus. 
 
            Em oitavo lugar, elas nos mantêm em harmonia com o espírito da Igreja, o que é de suma importância para os que se esforçam por levar uma vida devota e caminham entre as dificuldades do ascetismo e da santidade interior. Depreciar as indulgências é um sinal de heresia, e o ódio que esta lhes vota é um indício de que o demônio as detesta, e isto mostra o valor do poder delas diante de Deus e da sua aceitação por parte d’Ele. Elas estão envolvidas em tantas particularidades da Igreja, desde a jurisdição da Santa Sé até à crença no Purgatório, nas boas obras, nos santos e na satisfação [das penas devidas ao pecado], que são, de certo modo, o sinal inconfundível da nossa ortodoxia [isto é, da nossa catolicidade]. A infeliz história dos erros que a Igreja sofreu a respeito da vida espiritual nos mostra que, para sermos verdadeiramente santos, devemos ser verdadeiramente católicos e católicos romanos, pois fora de Roma não pode haver nem catolicismo, nem santidade alguma. 
 
            Além do que, as devoções indulgenciadas oferecem em si a seguinte vantagem: temos certeza de que são mais que aprovadas pela Igreja. Sabemos que no mundo numerosas almas piedosas as empregam todos os dias, e unindo-nos a elas participamos mais inteiramente da Comunhão dos Santos e da vida da Igreja, que constitui sua unidade. Por todas as razões que enunciei, o emprego das indulgências espiritualiza cada vez mais a nossa alma a aviva a nossa fé. Elas nos levam a rezar como quer a Igreja e sobre assuntos por ela indicados, e assim podemos alcançar muitos fins ao mesmo tempo. Pois pelo mesmo ato não somente rezamos, como fazemos ato de veneração às chaves da Igreja, honramos a Jesus, Sua Mãe e os Santos, evitamos o castigo temporal que nos é devido, ou, o que é ainda melhor, libertamos os mortos [do Purgatório] e assim glorificamos a Deus. Podemos ainda verificar que, ao percorrermos as devoções indulgenciadas, transferimos para o nosso espírito muita doutrina tocante, que serve de alimento à oração mental e a um amor cheio de reverência. 
 
            Tomemos um exemplo. Não posso conceber que um homem seja espiritual se não tem o hábito de rezar o terço, que pode ser chamado a rainha das devoções indulgenciadas. Em primeiro lugar, considerai a importância do Rosário como sendo uma devoção própria da Igreja, imprimindo em nossa alma um caráter particularmente católico, conservando perpetuamente em nosso espírito a lembrança de Jesus e de Maria, e como sendo um precioso auxílio para alcançarmos a perseverança final, se o recitarmos com fidelidade, como no-lo provam diversas revelações. Considerai, em seguida, que São Domingos o instituiu em 1214, inspirado por uma visão, com o fim de combater a heresia, e considerai o êxito que o consagrou. (...)
 
            Nada desejaria dizer que pudesse restringir qualquer devoção. Todavia, considerando bem todas as coisas, quando a Igreja indulgenciou um tão grande número de orações e devoções, por que recorrer a outras orações vocais em vez de procurar as indulgenciadas?”
 
 
            (FABER, Padre Frederick William [1814-1864], in: O PROGRESSO NA VIDA ESPIRITUAL, tradução de Marianna Nabuco, Editora Vozes, Petrópolis: 1924, páginas 278-282, grifos nossos)(Gentileza Rodrigo)

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Diário da Irmã Faustina




Amado de Deus, a paz!
Vamos meditar juntos hoje um pouquinho com a Irmã Faustina?
Tenho o Diário da Irmã Faustina desde 2004 que, desde então, passou a ser um livro de cabeçeira, assim como a Imitação de Cristo, O Caminho, entre outros, que sempre procuro ler para completar a meditação que faço na Palavra.
O bom mesmo é ler a Palavra de Deus, mas estes livros, para mim, ajudam a completar o que o Senhor quer falar. Como de costume, hoje pedi para o Senhor Jesus falar comigo através da Irmã Faustina e senti, muito forte em meu coração, após ler e refletir, que deveria partilhar com meus irmãos do blog, transcrevendo o trecho que li.
Assim amado de Deus, passo a transcrever. Espero que leia, que deixe as palavras ressoarem em seu coração, que sinta a presença de Jesus, que O deseje, que O adore com toda a tua força e que seja feliz, com Jesus, por Jesus e para Jesus!







Diário - Santa M. Faustina Kowalska - pag. 301 - nº 1129 a 1136:


" 23. Festa da Santíssima Trindade.
Durante a Santa Missa, de repente, me achei unida com a Santíssima Trindade. Conheci a Sua majestade e grandeza. Estava unida com as Tres Pessoas. E quando se está unida com uma dessas Santíssimas Pessoas, ao mesmo tempo se está unida com as outras duas Pessoas. A felicidade e a alegria que se comunicou à minha alma é indescritível. Fico triste de não ser capaz de descrever com palavras aquilo para o que não há palavras.
Ouvi estas palavras: Diz à Superiora Geral que conte contigo como a mais fiel das filhas da Congregação.
Após essas palavras veio-me interiormente a compreensão do que são as criaturas diante de Deus. Imensa e inconcebível é a Sua majestade e, se tão bondosamente se rebaixa até nós, é pelo abismo da Sua misericórdia...


               Tudo terminará neste vale de lágrimas,
               E as lágrimas passarão e cessará a dor.
               Uma coisa apenas não perecerá:
               O amor para convosco, Senhor.
               Tudo terminará neste exílio.
               As provações e os desertos da alma.
               E ainda que a alma esteja em continua agonia,
               Se tem a Deus - nada a perturba. (sublinhei)


(36 27.(05.1937) Solenidade de Corpus Christi.
Durante a oração, ouvi estas palavras: Minha Filha, que o teu coração se encha de alegria. Eu o Senhor estou contigo. Nada temas, estás em Meu coração. Nesse momento percebi a grande majestade de Deus e compreendi como nada se pode comparar ao simples conhecimento de Deus (sublinhei). A grandeza exterior desaparece com poeira, diante de um só ato de conhecimento mais profundo de Deus.
O Senhor derramou na minha alma uma paz tão profunda, que nada a poderá perturbar. Apesar de tudo o que está ocorrendo em minha volta, não perco a tranqüilidade nem sequer por um momento. Ainda que o mundo desmoronasse, nem isso conseguiria perturbar a profundidade do meu intimo recolhimento, onde Deus repousa. Todos os acontecimentos e as mais diversas coisas que sucedem, jazem aos Seus pés.
Esse profundíssimo conhecimento de Deus me dá uma total independência e liberdade espiritual e, na estreita união com Ele, nada pode me perturbar, nem os poderes dos anjos. Sinto que sou grande apenas quando unida a Deus. Que grande felicidade e ter a consciência de que Deus está presente no coração, e viver em estreita intimidade com Ele! (sublinhei) 
Quando a procissão vinda de Borek chegou a nossa casa e trouxeram o Santissimo para ser guardado em nossa capela, ouvi uma voz da Hóstia: Aqui está o meu descanso. No momento da benção, Jesus deu-me a conhecer que em breve haverá, aqui neste local, uma ocasião solene. - Apraz-Me o teu coração e nada Me impedirá de te conceder graças.  - Esta grandeza de Deus inunda a minha alma e n ' Ele..."




Não é lindo amado de Deus? Como podemos aprender com os Santos, não é mesmo? Veja a confiança que Irmã Faustina depositava no Senhor, nada abalava a sua união com Ele, porque confiava plenamente em Sua Majestade, Deus é maior que tudo e todas as coisas e tudo está sob o Seu Divino Domínio.
Aprendi com a vida que nada que eu possa fazer pode mudar a Vontade de Deus, pode retardar, mas não mudar. Então, porque não se abandonar a Providência?
Este trecho do Diário saiu quando meditava o Salmo 127 que faz um apela ao Abandono à Providência Divina. Leia e medite o Salmo, vai completar esta leitura.
E depois se pergunte, amado de Deus: Estou ou não abandonado nas mãos do Meu Senhor e Deus? Será que existe algo que ainda perturba o meu coração? Será que ainda tenho alguma duvida sobre a Majestade e o Poder de Deus sobre todas as coisas e sobre a minha vida? Por que ainda tenho medo?
E faça a sua oração pedindo a cura do seu coração, pedindo que Deus o faça sentir esta união perfeita que, com o disse Irmã Faustina, é indiscritível é preciso fazer a experiência pessoal com Ela...peça esta graça, ok?


PAZ!